Serasa divulga resultado com crescimento de 17% de novas empresas

A abertura de novas empresas cresceu 17,7% em junho, segundo a Serasa Experian. De acordo com as análises, 78% são de microempreendedores individuais.

Serasa divulga resultado com crescimento de 17% de novas empresas
Serasa divulga resultado com crescimento de 17% de novas empresas (Imagem: Pexels)

Segundo Indicador de Nascimento de Empresas da Serasa Experian 277.857 novas empresas foram criadas em junho, sendo esse um crescimento de 17,7% em comparação com o mesmo período do ano passado. Essa é a primeira alta após duas quedas consecutivas do indicador.

Os microempreendedores individuais (MEIs) equivalem a 78% das novas empresas, enquanto as sociedades limitadas ocupam 10,2% do percentual e as empresas individuais 3,6%. A criação de empresas individuais apresentou uma queda em comparação ao ano anterior.

Segundo o economista Luiz Rabi, da Serasa Experian, “com a geração de empregos formais ainda em marcha lenta na economia brasileira, o empreendedorismo tem sido uma válvula de escape para o desenvolvimento de atividades econômicas geradoras de renda para uma quantidade cada vez maior de indivíduos. Isto explica o forte crescimento principalmente na criação de novos Microempreendedores Individuais”.

Os Microempreendedores Individuais são os grandes responsáveis pelo alto crescimento no número de novas empresas. Sendo essa uma das maneiras encontradas para colocar os trabalhadores informais dentro da Legalidade.

A análise também traz informações em relação ao crescimento de empresas por região, sendo que o Norte se destaca, com um aumento de 38,4%. O Centro-Oeste apresentou um crescimento de 31,1%, o Sul de 18,9%, Sudeste 15,1% e Nordeste com 11,4%.

Porém, em relação ao nível de participação na quantidade de empresas criadas, a região Sudeste é a que teve o maior número de novas empresas, sendo 52,3% das 277.857 novas empresas criadas no Brasil. O Sul conta com 18% da quantidade, o Nordeste 14,4%, Centro-Oeste 9,7% e o Norte 5,7%.

“Abrir um negócio está diretamente ligado a confiança do empreendedor no mercado e da população com o consumo. Por isso, a necessidade de se reinventar e gerar novas fontes de renda, atrelada à reabertura e à retomada dos setores de Serviço e Comércio, incentivam o brasileiro nesse sentido”, afirma Rabi.

No relatório, a Serasa Experian informa que todos os segmentos apresentaram crescimento, em comparação com junho de 2019.

O principal crescimento foi no setor de comércio com uma lata de 41,2%, seguido pela área de Serviços que teve um aumento de 7,4% e indústrias com 28,4%.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Glaucia Alves
Gláucia Alves é formada em Letras-Inglês pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE). Atuou na área acadêmica durante 8 anos. Em 2020 começou a trabalhar como corretora de redação. Atualmente, trabalha na equipe do portal FDR, produzindo conteúdo sobre economia e direitos da população brasileira, onde já acumula anos de pesquisa e experiência. Além de realizar consultoria de redação on-line.