Indicador mostra queda de 9,3% nos pedidos de seguro desemprego

A pandemia do novo coronavírus no Brasil fez o número de pedidos de seguro desemprego dispararem. Foram milhares de novos desempregados após a paralisação de diversos serviços. Passados quatro meses de crise, o cenário começou a mudar: os pedidos de seguro desemprego de trabalhadores com carteira assinada estão caindo.

Pedidos de seguro desemprego aumentam e governo faz declaração controversa
Pedidos de seguro desemprego aumentam e governo faz declaração controversa (Imagem FDR)

De acordo com o levantamento divulgado pela Secretaria de Trabalho do Ministério da Economia, na quinta-feira (25), na primeira quinzena de setembro, o total de pedidos reduziu em 9,3% se comparado ao mesmo período do ano passado.

Nos primeiros dias de setembro deste ano, foram 219.679 pedidos, contra 241.102 pedidos de seguro desemprego registrados nos mesmos dias do ano passado.

Ao todo, 62,9% dos requerimentos foram realizados pela internet, por consequência da pandemia. Em 2019, apenas 2,8% dos pedidos não foram feitos presencialmente.

Perfil dos novos desempregados

O mesmo levantamento divulgou ainda um perfil dividido por sexo, idade, escolaridade, setor estado dos “novos desempregados” com base na primeira quinzena de setembro.

A maioria dos requerimentos de seguro desemprego foram realizados por homens (59,9%). A faixa etária com mais solicitantes ficou entre 30 e 39 anos, marcando 33,4% na pesquisa.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE
OPORTUNIDADE
Novo Cartão de crédito queridinho do Brasil, sem anuidade e que você pode solicitar agora 34.787 pessoas já solicitaram

Já quanto à escolaridade, os profissionais com Ensino Médio completo foram os mais afetados pelo desemprego, marcando 59,4%. Os setores econômicos que tiveram uma baixa no número de profissionais foram os de serviços (43%), comércio (26,3%), indústria (14,9%) e construção (9,6%).

Na divisão por estados, o Sudeste marcou o maior número de solicitações por seguro desemprego. Em primeiro lugar, São Paulo registrou 65.358 pedidos, seguido de Minas Gerais, com 24.129. O Rio de Janeiro registrou 17.420.

Em relação aos pedidos realizados pela internet, o Acre foi o estado com maior solicitações (96,4%), seguido de Sergipe (87,1%) e Tocantins (85,7%).

Acumulado registra aumento

Ainda que a primeira quinzena de setembro tenha registrado uma redução para muitos estados, o acumulado do ano continua em alta.

Ao todo, os pedidos de seguro desemprego somaram 5.203.736, segundo registros do dia 2 de janeiro a 15 de setembro deste ano. Um total de 6,7% a mais do que o ano passado, quando, no mesmo período, o registro foi de 4.876.556 requerimentos.

Isabela Veríssimo
Isabela Veríssimo é jornalista formada pela Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP) com passagens por redações, desde 2016, como o Diario de Pernambuco, Jornal do Commercio e Rede Globo. Atualmente dedica-se à redação de economia do portal FDR.