Privatização dos Correios é a melhor decisão para o futuro da empresa? Confira opiniões

A greve nacional dos Correios tem levantado discussões nas principais fontes de notícias do Brasil. Os funcionários manifestam contra a redução de 40% em suas rendas e pela perda de alguns benefícios que estão sendo retirados pela administração da empresa. Em meio a tudo isso, a privatização dos Correios é uma saída? Veja as opiniões.

publicidade
Privatização dos Correios é a melhor decisão para o futuro da empresa? Confira opiniões
Privatização dos Correios é a melhor decisão para o futuro da empresa? Confira opiniões (Imagem: Google)
publicidade

O SUNO Notícias discutiu com o secretário geral da Federação dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telégrafos e Similares (FENTECT), José Rivaldo da Silva e o especialista em economia e finanças, Adriano Gomes.

Os dois definiram os pontos em que se torna possível uma desestatização da empresa e o que poderia ser considerado pró e contra em torno dessa discussão.

De acordo com José Rivaldo, a privatização dos Correios, levando em consideração a extensão do território nacional, “é um absurdo”.

“Por exemplo, estamos em uma pandemia… se disponibilizassem uma vacina, quem conseguiria levar a vacina para todos os municípios seriam os Correios”.

Ele segue e afirma que ideia de privatizar uma empresa do tamanho dos Correios é o mesmo que dizer que: ‘quem mora nas maiores cidades e tem poder aquisitivo vai ter os serviços de Correios, com preço melhor, porque está em uma grande capital e você tem a maior circulação de dinheiro”, apontou o secretário.

O secretário disse também que os Correios são responsáveis pelo atendimento de todo o Brasil, conseguindo alcançar locais como o interior do Amazonas cobrando uma tarifa justa em seu ponto de vista.

Sendo assim caso a empresa fosse privatizada, o serviço poderia ser feito mais rápido para entregar nesses locais, porém o valor seria muito alto.

“Com a privatização, a pessoa que comprou uma mercadoria via e-commerce, por exemplo, e mora nesse lugar [interior do Amazonas], teria condições de pagar um serviço desse? Qual seria o custo disso? As pessoas não levam em consideração o tamanho da operação que é os Correios”, disse José.

Adriano Gomes, que é o administrador de empresas e mestre em controladoria e finanças, diz que não existe relação entre gerir bem ou mal uma companhia de acordo com a sua gestão ser administrada pelo poder público ou privado

Giovanna FreitasGiovanna Freitas
Giovanna Freitas é graduanda na Universidade Anhembi Morumbi (UAM), atualmente é redatora do portal FDR produzindo pautas sobre finanças.