Stone começa a emitir BDRs que podem ser entregues a acionistas da Linx

Em comunicado feito ontem (22) pela Stone, a empresa pretende realizar a emissão de recibos de ações estrangeiras, Brazilian Depositary Receipts (BDRs), como forma de ajustar a oferta pela Linx. Sendo assim, a empresa receberia outra opção de pagamento, além do dinheiro.

publicidade
Stone pretende realizar a emissão de BDRs como forma de ajustar a oferta pela Linx
Stone pretende realizar a emissão de BDRs como forma de ajustar a oferta pela Linx (Imagem: Leandro Fonseca/Exame)
publicidade

Por conta da mudança das regras feitas pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) para as BRDs, a empresa de meios de pagamentos decidiu emitir esses recibos como forma de negociação.

O regulador acabou com a restrição que proibia empresas de ter BRDs caso fossem registradas no exterior e tivessem 50% ou mais dos ativos no país. Também foi permitida a compra desses recibos por pessoas físicas. A regra anterior permitia a somente a aquisição por investidores com patrimônio comprado acima de R$ 1 milhão.

De acordo com a empresa, a possibilidade da emissão “permitirá que os detentores de ações da Linx negociadas no mercado brasileiro recebam BDRs da Stone como parte da contraprestação a ser paga”.

O diretor de relações com investidores da empresa, Rafael Martins Pereira, afirmou que negociará na B3 os BRDs por iniciativa própria. “Decidimos isso ao longo das últimas duas semanas e demos entrada hoje com pedido na B3”, alega em entrevista ao EXAME IN.

“Muitos investidores brasileiros, pessoa física e fundos, ou não poderiam receber ações nossas no exterior ou teriam de enfrentar dificuldades e burocracia para fazê-lo. Optamos por endereçar essa questão fazendo a emissão de BDRs patrocinados, na quantidade necessária para concretizar o pagamento da operação”, relata, segundo o Valor Econômico.

Além da Stone como interessada em adquirir a Linx, a Totvs também está no páreo. A Totvs ofereceu como proposta a troca de ações, de forma com que os investidores da Linx pudessem obter possíveis lucros.

Detalhes dos valores

A proposta oferecida pela Stone foi de R$ 6,28 bilhões de reais. Dessa quantia total, R$ 5,65 bilhões seriam realizados em dinheiro e a outra parte em ações. Dessa forma, os acionistas da Linx poderiam receber valores por volta de R$ 31,56 reais, dependendo do fechamento, além de 0,0126774 ação da Stone.

AvatarSilvio Souza
Silvio Suehiro Souza é formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Possui experiência em produção textual e, atualmente, dedica-se à redação do portal FDR.