Governo enfrenta crise de informações e suspende lançamento de seu novo projeto. Nessa quarta-feira (16), o presidente Jair Bolsonaro anunciou que irá cancelar o Renda Brasil. Após ler manchetes afirmando que o programa deveria congelar o salário dos aposentados, o chefe de estado afirmou que a pauta está proibida de ser mencionada e ameaçou dar um ‘cartão vermelho’ para a equipe de economia do país. 

publicidade
Renda Brasil: Por que Bolsonaro NÃO quer continuar com programa? (Imagem: Google)
Renda Brasil: Por que Bolsonaro NÃO quer continuar com programa? (Imagem: Google)
publicidade

Ao longo dos últimos meses, muito tem se falado sobre o lançamento do novo projeto social, Renda Brasil, que deveria substituir o atual Bolsa Família.

De acordo com o texto que estava sendo elaborado, o programa iria conceder R$ 300 mensais para os brasileiros de baixa renda, mas precisaria reajustar uma série de auxílios ofertados atualmente.  

Planos 

Um dos pontos principais do Renda Brasil seria a expansão em comparação com o Bolsa Família. O novo programa deveria atender mais de 40 milhões de brasileiros, o que significa ser mais que o dobro do atual orçamento. 

Dessa forma, sob a justificativa de fechar as contas públicas, Ministro da Economia Paulo Guedes, começou a sugerir o fim de uma série de projetos sociais, como o abono salarial, congelamento do INSS, farmácia popular, entre outros. 

De acordo com o representante, tais decisões seriam necessárias para que se pudesse fazer um repasse de valores utilizados para administrar o novo Renda Brasil.

Até então, as pautas estavam de acordo com o presidente Bolsonaro, que já tinha feito campanha do projeto e marcado data para seu lançamento.  

Volta atrás e ameaça de suspensão 

No entanto, mediante a circulação midiática de tais cortes, Bolsonaro sentiu-se pressionado pela impressa e optou por suspender o projeto.

De acordo com o vídeo publicado em suas redes sociais, o nome ‘Renda Brasil’ está proibido de ser mencionado em seu governo até o ano de 2022.  

O chefe de estado acusou o ministro de incoerência e afirmou que jamais irá aprovar medidas que prejudiquem pobres e demais brasileiros em situação de vulnerabilidade social.  

Projetos que seriam cancelados com o Renda Brasil 

  • Abono salarial: considerado um 14º salário para quem trabalha com carteira assinada e recebe até dois salários mínimos;  
  • Seguro-defeso: pago ao pescador artesanal durante o período em que fica proibido de trabalhar por questões ambientais;  
  • Salário-família: benefício para empregados de baixa renda que têm filhos de até 14 anos ou filhos com deficiência;  
  • Farmácia Popular: oferece medicamentos a preços mais acessíveis a pessoas de baixa renda. 

 

Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco e formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguagens. No mercado de trabalho, já passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de ter assessorado marcas nacionais como a Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR.