A Caixa Econômica Federal está pagando nesta quarta-feira (16) a 5ª parcela do auxílio emergencial aos nascidos em junho. A última parcela de R$600 para esse grupo pode ser sacada ou transferida no dia 06 de outubro.

publicidade
Auxílio emergencial: 5ª parcela para nascidos em JUNHO está liberada; veja como receber
Auxílio emergencial: 5ª parcela para nascidos em JUNHO está liberada; veja como receber (Imagem: Reprodução Google)
publicidade

Com o direito na conta digital é possível fazer compras e pagamentos usando o cartão de crédito digital. A Caixa tem como objetivo incentivar o uso da conta de crédito digital e, com isso, evitar a aglomeração de pessoas para os saques.

Veja abaixo o calendário de pagamento da última parcela de R$600:

Mês de aniversário Depósito Saque
Janeiro 28/08 19/09
Fevereiro 02/09 22/09
Março 04/09 29/09
Abril 09/09 01/10
Maio 11/09 03/10
Junho 16/09 06/10
Julho 18/09 08/10
Agosto 23/09 13/10
Setembro 25/09 15/10
Outubro 28/09 20/10
Novembro 28/09 22/10
Dezembro 30/09 27/10

 

Como é possível perceber, ainda faltam receber a quinta parcela os nascidos entre os meses de julho e dezembro, porém todos receberão ainda este mês. Já os saques começarão a ser liberados ainda em setembro, indo até outubro.

Auxílio emergencial

O auxílio emergencial foi criado em março, pela gestão do atual presidente da república, Jair Messias Bolsonaro, após o início das restrições sociais devido à pandemia. As parcelas de R$600 começaram a serem pagas a partir de abril.

O Objetivo é ajudar a população brasileira mais carente a enfrentar a pandemia. Por esse motivo, o benefício é para os trabalhadores informais, desempregados, microempreendedores individuais (MEI), autônomos e beneficiários do Bolsa Família.

Foi determinado em março que seriam pagas três parcelas de R$600, porém devido ao aumento de casos de Covid-19 no país e a continuação do isolamento social o pagamento foi prorrogado para mais dois meses, chegando ao mês de agosto.

No dia 1º de setembro, o presidente da república anunciou mais uma prorrogação de quatro meses, ou seja, até dezembro, porém com o valor reduzido das parcelas para R$300. Além disso, informou Bolsonaro, que não será mais possível realizar novos cadastros.

Para receber o benefício é necessário ter mais de 18 anos ou ser mãe adolescente, não ter nenhum emprego formal, não ser beneficiário do INSS e ter uma renda familiar mensal de até três salários mínimos. As mães solteiras recebem o dobro do pagamento.

Gláucia Alves, formada em Letras-Inglês pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE). Foi professora por 7 anos. Esse ano começou a trabalhar como redatora e como corretora de redação. Atualmente, trabalha na equipe do portal FDR e realiza consultoria de redação on-line.