Após 5 meses com os serviços presenciais suspensos para conter o avanço da pandemia do novo coronavírus, o atendimento presencial do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) voltou em algumas agências, na segunda-feira (14). O resultado da reabertura, porém, não foi satisfatório em todos os estados. Quem precisava de serviços envolvendo médicos peritos, principalmente, não teve êxito.

publicidade
Sem perícia médica, volta das agências do INSS causam confusão e reclamações
Sem perícia médica, volta das agências do INSS causa confusão e reclamações (Imagem: Reprodução/Google)
publicidade

Grande parte da confusão aconteceu porque os médicos peritos decidiram que ainda não é hora de retomar as atividades. Resultado: as perícias previamente agendadas foram suspensas.

Segundo o INSS, os segurados precisam fazer a remarcação através do aplicativo Meu INSS, disponível para os sistemas Android e iOs, ou pelo telefone 135.

Vale ressaltar que a decisão dos médicos, segundo a Associação Nacional dos Peritos Médicos Federais (ANMP), é embasada no baixo número de agências aprovadas nas vistorias realizadas pela entidade. Apenas 12 das mais de 800 agências com serviço de perícia estariam aptas para este retorno.

No estado de São Paulo, o problema foi ainda maior. Além dos médicos peritos não estarem no local, uma decisão judicial impediu também a retomada do atendimento presencial. Ou seja, quem foi ao INSS presencialmente, encontrou os portões fechados. Em Jundiaí, no interior do estado, houve até formação de fila, mas ninguém foi atendido.

No Rio de Janeiro, mais problemas. Como previsto, os peritos médicos não compareceram. Já os funcionários escalados para o trabalho, se atrasaram. O INSS informou que a reabertura das agência seria às 7h. A unidade, porém, abriu pouco depois das 8h.

Ainda no sudeste, Minas Gerais contou com um número reduzido de atendimentos. O INSS anunciou a reabertura de 77 unidades, mas na capital, que reúne sete postos, apenas dois foram escalados para reabertura. Mais uma vez, filas formadas por quem precisava de atendimento.

Situação completamente diferente aconteceu em Amapá. O INSS decidiu não reabrir as agências. Todas permanecem fechadas até que as providências para adequações das novas medidas de segurança sejam regulamentadas.

Por isso, a previsão de reabertura ficou para o dia 21 de setembro deste ano, podendo ainda ser reagendada, em caso de necessidade.

Isabela Veríssimo é jornalista formada pela Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP) com passagens por redações, desde 2016, como o Diario de Pernambuco, Jornal do Commercio e Rede Globo. Atualmente dedica-se à redação de economia do portal FDR.