Reforma administrativa chega para análise do Congresso nesta quinta-feira (3)

Pauta da reforma administrativa volta a caminhar em Brasília. Nessa terça-feira (01), o presidente Jair Bolsonaro, em café da manhã no planalto, afirmou que irá manter o auxílio emergencial até o mês de dezembro. Além disso, anunciou também a retomada da proposta de realizar uma reforma no serviço público. De acordo com ele, o texto deverá ser enviado para o Congresso na próxima quinta-feira e precisará ser validado em breve. Acompanhe.  

publicidade
IRPF deve contar com nova alíquota e acabar com deduções por saúde
Reforma administrativa chega para análise do Congresso nesta quinta-feira (3) (Imagem: Reprodução Google)
publicidade

A reforma administrativa era uma pauta da gestão de Bolsonaro desde o seu primeiro ano de mandato. Entretanto, com a validação da reforma da previdência e chegada da pandemia do novo coronavírus no Brasil, o projeto precisou ser suspenso tendo em vista que a agenda pública contava com outras prioridades mais emergentes.  

Porém, logo após validar a última decisão da crise do coronavírus, em nível econômico social, garantindo o pagamento do auxílio emergencial até dezembro com um valor de R$ 300, Bolsonaro retomou o assunto de mudanças na gestão pública.

De acordo com ele, as mudanças só serão aplicadas para os novos servidores públicos e têm como finalidade reduzir as despesas da União.  

— Tomamos duas decisões: encaminhar na quinta-feira a reforma administrava. Que fique bem claro: não atingirá nenhum dos atuais servidores, ela se aplicará apenas aos futuros servidores concursados – afirmou o presidente no pronunciamento, após se reunir com líderes dos partidos da base aliada e ministros no Palácio da Alvorada, nesta terça-feira. 

Apoio do Ministério da Economia 

Ao lado de Bolsonaro, o ministro Paulo Guedes reforçou a importância de manter a reforma administrativa. Ela tem sido vista necessária para desafogar as folhas orçamentárias do poder público e também reorganizar o modo como a maquinha vem funcionando.  

— A reforma administrativa é importante, como o presidente deixou claro desde o início, não atinge os direitos dos servidores públicos atuais, mas redefine toda a trajetória do serviço público para o futuro, um serviço público de qualidade, com meritocracia, com concursos exigentes, promoção por mérito. É importante que nós estamos não só com os olhos na população brasileira no curto prazo, mas toda classe política brasileira, pensando no futuro do país, implementando as reformas. 

É válido ressaltar que, o texto da reforma está praticamente pronto desde o ano passado, mas permaneceu engavetado mediante necessidades políticas administrativas. 

Eduarda AndradeEduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco e formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguagens. No mercado de trabalho, já passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de ter assessorado marcas nacionais como a Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR.