Reforma administrativa chega para análise do Congresso nesta quinta-feira (3)

Pauta da reforma administrativa volta a caminhar em Brasília. Nessa terça-feira (01), o presidente Jair Bolsonaro, em café da manhã no planalto, afirmou que irá manter o auxílio emergencial até o mês de dezembro. Além disso, anunciou também a retomada da proposta de realizar uma reforma no serviço público. De acordo com ele, o texto deverá ser enviado para o Congresso na próxima quinta-feira e precisará ser validado em breve. Acompanhe.  

IRPF deve contar com nova alíquota e acabar com deduções por saúde
Reforma administrativa chega para análise do Congresso nesta quinta-feira (3) (Imagem: Reprodução Google)

A reforma administrativa era uma pauta da gestão de Bolsonaro desde o seu primeiro ano de mandato. Entretanto, com a validação da reforma da previdência e chegada da pandemia do novo coronavírus no Brasil, o projeto precisou ser suspenso tendo em vista que a agenda pública contava com outras prioridades mais emergentes.  

Porém, logo após validar a última decisão da crise do coronavírus, em nível econômico social, garantindo o pagamento do auxílio emergencial até dezembro com um valor de R$ 300, Bolsonaro retomou o assunto de mudanças na gestão pública.

De acordo com ele, as mudanças só serão aplicadas para os novos servidores públicos e têm como finalidade reduzir as despesas da União.  

— Tomamos duas decisões: encaminhar na quinta-feira a reforma administrava. Que fique bem claro: não atingirá nenhum dos atuais servidores, ela se aplicará apenas aos futuros servidores concursados – afirmou o presidente no pronunciamento, após se reunir com líderes dos partidos da base aliada e ministros no Palácio da Alvorada, nesta terça-feira. 

Apoio do Ministério da Economia 

Ao lado de Bolsonaro, o ministro Paulo Guedes reforçou a importância de manter a reforma administrativa. Ela tem sido vista necessária para desafogar as folhas orçamentárias do poder público e também reorganizar o modo como a maquinha vem funcionando.  

— A reforma administrativa é importante, como o presidente deixou claro desde o início, não atinge os direitos dos servidores públicos atuais, mas redefine toda a trajetória do serviço público para o futuro, um serviço público de qualidade, com meritocracia, com concursos exigentes, promoção por mérito. É importante que nós estamos não só com os olhos na população brasileira no curto prazo, mas toda classe política brasileira, pensando no futuro do país, implementando as reformas. 

É válido ressaltar que, o texto da reforma está praticamente pronto desde o ano passado, mas permaneceu engavetado mediante necessidades políticas administrativas. 

Gostou do conteúdo? Siga @fdrnoticias no Instagram e FDR.com.br no Facebook para ver as últimas notícias que impactam diretamente no seu bolso e nos seus direitos.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR, onde já acumula anos de experiência e pesquisas sobre economia popular e direitos sociais.