Tarifa Social: Governo do RJ aumenta consumo para isentar pagamento de água

Foi sancionado ontem, 24, por Wilson Witzel (PSC) governador do Rio de Janeiro, o projeto de lei que aumenta, de 6m³ para 12 m³, o limite do uso de água mensal para pessoas de baixa renda que possuem tarifa social com a Cedae (Companhia Estadual de Águas e Esgoto).

Tarifa Social: Governo do RJ aumenta consumo para isentar pagamento de água
Tarifa Social: Governo do RJ aumenta consumo para isentar pagamento de água (Imagem Google)

A lei 8.984/2020 já está vigorando e integra as medidas do estado no combate aos efeitos decorrentes da pandemia do coronavírus.

Segundo a publicação, é previsto também que ao terminar a vigência das medidas de combate ao coronavírus, a Cedae fará as cobranças com base no real contudo das casas.

A tarifa social mínima é prevista no decreto 2.538/99 e é voltada para as comunidades e conjuntos habitacionais que tenham moradores de baixa renda que possam comprovar, através de documentação, suas condições financeiras para a Cedae.

O relator do projeto é o deputado Carlos Minc (PSB), que pediu o aumento do consumo alegando que a água ajuda no combate a proliferação do coronavírus e é fundamental para as pessoas mais pobres.

“As famílias de baixa renda são a parcela economicamente mais vulnerável e vão sofrer mais intensamente os efeitos econômicos e sanitários provocados pela pandemia de coronavírus. Sendo o acesso à água um poderoso aliado ao combate a doenças, seu consumo poderá ser aumentado por esta carente parcela da população”, disse Carlos para a comunicação da Alerj (Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro).

Famílias de baixa renda perdem direito a isenção da conta de luz

A Câmara dos Deputados deixou a Medida Provisória (MP) que tratava da isenção da cobrança da conta de luz para famílias de baixa renda vencer. Desta forma, a MP já perdeu sua validade, e os consumidores voltarão a ser penalizados caso deixem de pagar a tarifa de energia elétrica.

O relatório que era estudado pelos deputados desautorizava o corte no fornecimento de energia elétrica por falta de pagamento, e o aumento de tarifas até dezembro deste ano.

Para que o texto virasse uma lei, a medida precisava ser aprovada pela Câmara e pelo Senado até a último dia 5. Porém, os parlamentares em uma votação com 244 votos contra e 232 a favor, removeram a matéria da pauta.

Desde o dia 3 de agosto, todos os cidadãos que estão inadimplentes com a sua conta de energia elétrica poderão ter o fornecimento cortado. Seguindo as novas regras que proíbem o desligamento em véspera de feriado e na sexta-feira.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira é formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo. Atua como redator do portal FDR, onde já cumula vasta experiência e pesquisas, produzindo matérias sobre economia, finanças e investimentos.