Brasil tem alta na criação de empregos e anima mercado de trabalho

Número de contratações volta a crescer consideravelmente em todo o território nacional. Na última semana, o governo federal informou que o Brasil registrou 131.010 vagas de emprego com carteira assinada somente durante o mês de julho. Os dados foram liberados através do Novo Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), ministrado pelo Ministério da Economia.  

Brasil tem alta na criação de empregos e anima mercado de trabalho (Foto: Google)
Brasil tem alta na criação de empregos e anima mercado de trabalho (Foto: Google)

Entretanto, apesar de parecer positivo, o resultado ainda é inferior em comparação ao ano passado. 

Com a pandemia do novo coronavírus, a economia nacional viveu um período forte de crise e instabilidade, resultando em demissões de mais de 912.640 trabalhadores (por mês).

De março até o mês de maio, considerada a fase mais intensa da pandemia, foram perdidos cerca de 1.092.578 empregos, enquanto em 2019, no mesmo período, foi registrada a abertura de 461.411 vagas. 

De acordo com o balanço feito pelo ministério da economia, ao todo, avaliou-se uma regressão por quatro meses consecutivos. Entretanto, espera-se um cenário mais positivo daqui pra frente, tendo em vista a flexibilização das medidas de isolamento e a retomada dos setores.  

“Temos uma notícia extraordinária: criamos liquidamente 130 mil empregos neste mês. Isso não acontecia desde abril. Começamos o ano bem, fomos atingidos pela pandemia em março, perdemos empregos até junho, mas tivemos saldo positivo em julho”, comemorou o ministro da Economia, Paulo Guedes, durante uma coletiva de imprensa.  

Setores com mais criação de empregos

Até agora, o setor que mais apresentou contratações foi o de Indústria de Transformação, liderando com um saldo positivo de 53.590 empregos com carteira assinada em julho.

Na sequência, o mercado de construção teve novos 41.986 contratos. O comércio ficou com outras 28.383 novas vagas. A Agropecuária (23.027) e os Serviços foi o único segmento com saldo negativo, tendo menos de 15.948. 

Regiões e estados  

No que diz respeito a avaliação por território, as cinco regiões brasileiras apresentaram números positivos em julho. No Sudeste, foram criados novos 34.157 (aumento de 0,18%) postos de trabalho.

No Norte a evolução foi de 0,76%, sendo 13.297 novas vagas de emprego com carteira assinada. E no Nordeste o saldo foi de 22.664 postos (+0,37%); o Sul, de 20.128 (+0,29%); e o Centro-Oeste, de 14.084 (+0,44%). 

A avaliação por cidade mostrou que, apenas o Rio de Janeiro, Sergipe e Amapá tiveram uma avaliação negativa. As contratações desses municípios foram de -6.658 vagas (-0,22%), -804 (-0,30%), e -142 (-0,21%), respectivamente. 

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA