Nota de R$200 terá maior valor de fabricação na Casa da Moeda

A nova cédula que será incorporada a economia, a nota de R$200, não será apenas a de maior valor em circulação no nosso país, mas também será a mais cara a ser produzida. 

Nota de R$200 terá maior valor de fabricação na Casa da Moeda
Nota de R$200 terá maior valor de fabricação na Casa da Moeda (Foto: Google)

O portal Bitcoin, solicitou por meio da Lei de Acesso à Informação os documentos que mostram que o custo de produção da nova nota que vai estampar o lobo-guará, será de R$0,325 centavos por nota.

Esse preço será o mais alto entre as cédulas e moedas que já circulam no país. Fazendo a comparação com a produção das outras, a nota de R$200 vai ter um custo de produção próximo ao da moeda de R$ 1, que é o instrumento monetário mais caro feito até hoje. O custo para colocar uma moeda dessas em circulação é de R$ 0,31.

Normalmente, as moedas são mais caras de serem produzidas do que as notas, que possuem valor monetário superior. 

Isso em larga escala, mesmo que em poucos centavos, faz muita diferença na produção da Casa da Moeda, que é a estatal responsável por imprimir o dinheiro. 

A moeda de R$0,05 custa três vezes mais que o valor que é estampado no material. O custo é de cerca de R$0,17 a unidade.

Mesmo com o custo alto, o governo deve economizar com a produção de dinheiro. O argumento para a criação de uma nota de R$200, até então inédita, foi a necessidade de impressão de recursos em espécie nos últimos meses por conta do pagamento do auxílio emergencial.

Com valor alto permite que as pessoas façam saques com valores maiores com a emissão de menos papel. Por exemplo, para sacar os R$600 do auxílio, ao invés de seis notas de R$100 será necessário apenas três no valor de R$200.

Além disso, o outro motivo segundo a área econômica, a crise do novo coronavírus foi um dos motivos para que aumentasse essa procura. Isso, pois a pandemia fez com que as pessoas guardassem os recursos em casa, reservando em cédulas.

De acordo com o documento do Banco Central, 450 milhões de cédulas de R$ 200 serão produzidas. Hoje, são seis tipo de cédulas que circulam pelo país: R$ 2, R$ 5, R$ 10, R$ 20, R$ 50 e R$ 100.

O custo da operação inicial será de R$ 146,2 milhões. A ideia é que o volume não entre todo de uma vez em circulação.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Jheniffer Freitas
Jheniffer Aparecida Corrêa Freitas é formada em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e da Secretarial Estadual da Saúde de São Paulo. Há dois anos é redatora do portal FDR, onde acumula bastante experiência em produção de notícias sobre economia popular e finanças.