Cotação do dólar fica instável mediante tensão entre gigantes internacionais

Mercado financeiro fecha em clima de instabilidade. Nessa terça-feira (04), o desempenho negativo do setor bancário fez com que a Bolsa de Valores brasileira fechasse em baixa, registrando uma queda de 1,57%, aos 101.216 pontos. Quanto ao dólar, também foi aplicado uma queda de 0,6%, sendo vendido por R$ 5,285.   

Cotação do dólar fica instável mediante tensão entre gigantes internacionais (Imagem: Reprodução - Google)
Cotação do dólar fica instável mediante tensão entre gigantes internacionais (Imagem: Reprodução – Google)

Entre os motivos para tais variações, está o acidente em Beirute, que impulsionou os ganhos do petróleo e do ouro. 

Na tarde de ontem (4), a cidade de Beirute, capital do Líbano, vivenciou uma explosão de grande magnitude. Uma fábrica de produtos inflamáveis apresentou problemas em suas máquinas, fazendo com que os equipamentos colidissem.

O acidente deixou mais de 50 mortos e destruí a região central da cidade, gerando uma reação nas cotações do dólar e por consequentemente da Ibovespa.   

Avaliação do dólar  

A moeda americana vem oscilando desde o começo do ano com a chegada do novo coronavírus.

No entanto, especificamente nesta terça-feira suas alterações foram motivadas são só pelo ocorrido no Líbano, como também pela tensão entre a China e os Estados Unidos mediante a utilização do aplicativo TikTok.  

Desenvolvido pela China, a ferramenta poderá ser banida dos EUA por desejo do atual presidente Donald Trump. Seu pronunciamento de proibição vem fomentando um clima de tensão, fazendo com os índices do mercado fiquem desestabilizados.

Nesta quarta-feira (05), a moeda está sendo comercializada por R$ 5,29. No início do dia o valor chegou a R$5,24. 

Avaliação do cenário nacional  

Para as alterações da Ibovespa, as ações ordinárias do Banco do Brasil, Itaú e Bradesco seguem influenciando diretamente o valor do investimento. Somente o BB, recuou em 3,06%. Enquanto as demais instituições foram reajustadas em 2,09% e 5,83% respectivamente.  

Para justificar sua queda, o Itaú informou que está vivenciando os frutos do resultado deste segundo trimestre de 2020, onde apresentou um prejuízo de 40,2% em comparação ao ano passado.  

“O balanço do Itaú e o andamento do projeto que limita os juros pesaram sobre o setor bancário, um dos principais do Ibovespa. Soma-se a isso a tramitação da reforma tributária, que pode taxar dividendos ou aumentar a contribuição social sobre lucros líquidos. Como o mercado busca se antecipar, observamos esta queda generalizada nos bancos nesta terça”, informou a assessoria do banco. 

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestra em ciências da linguagem pela Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo na mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR, onde já acumula anos de experiência e pesquisas sobre economia popular e direitos sociais.