publicidade

Nesta quarta-feira (29), o Banco Central informou que o Conselho Monetário Nacional (CMN) aprovou o lançamento da cédula de R$200, a previsão é que ela entre em circulação no próximo mês.

BC criará uma nova cédula com valor de 200 reais
BC criará uma nova cédula com valor de 200 reais (Foto: Google)
publicidade

A cédula terá como personagem impresso o lobo-guará. Segundo a instituição, a nova cédula deve começar a circular no final do mês de agosto.

O banco deseja imprimir 450 milhões de cédulas de R$200 em 2020, e embora a projeção seja de inserir a espécie de lobo-guará na nota, ainda não foi divulgada definitivamente a imagem da nova cédula. 

Hoje, são seis tipo de cédulas que circulam pelo país: R$ 2, R$ 5, R$ 10, R$ 20, R$ 50 e R$ 100. Com a criação de um novo valor, a nota de R$200 passará a ser a de maior valor no Brasil. 

Impressão 

Neste mês de julho, o governo teve um gasto extra de cerca de R$437 milhões para impressão de cédulas. A ideia era imprimir R$100 bilhões adicionais em dinheiro de papel.

As informações são da diretora de Administração do Banco Central, Carolina de Assis Barros,  que concedeu uma entrevista coletiva virtual para apresentar a nova cédula e o comportamento recente da circulação delas.

A crise do novo coronavírus foi um dos motivos para que aumentasse essa procura. Isso, pois a pandemia fez com que as pessoas guardassem os recursos em casa, reservando em cédulas.

O outro motivo que foi apontado é a necessidade de fazer frente ao pagamento do auxílio emergencial, estimado em mais de R$ 160 bilhões considerando as cinco parcelas aprovadas. 

Uma boa parte dos beneficiários, sobretudo os de menor renda, preferiu sacar o benefício em espécie.

Novidades do Banco Central 

Para novembro deste ano, o Banco Central vai lançar o PIX, o serviço instantâneo de pagamentos. A ideia é permitir que os brasileiros enviem e recebam dinheiro em questão de segundos, e sem pagar nada por isso.

O sistema vai funcionar como um TED ou DOC, a diferença é que o cliente vai poder fazer a transferência com o custo de R$0,01 a cada 10 operações, que deve ser pago pela instituição financeira que recebe os recursos. 

Por meio da nova tecnologia, os usuários terão seus dados resumidos em uma única ‘chave de endereçamento’. Além disso, será possível pagar as compras em comércios por meio de QR Code.

Jheniffer Aparecida Corrêa Freitas é formada em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e da Secretarial Estadual da Saúde de São Paulo. Atualmente, é redatora do portal FDR, produzindo pautas sobre economia popular e finanças.