Alunos da rede municipal de Manaus deverão retomar as atividades presenciais a partir de 10 de agosto. Nessa semana, o governo estadual informou que as aulas da rede pública voltarão a acontecer nas unidades de ensino. De acordo com o gestor, Wilson Lima, a decisão foi tomada em parceria com o as entidades de saúde e não colocará em risco a vida dos estudantes.  

publicidade
Manaus anuncia retorno das aulas na rede pública a partir de 10 de agosto (Imagem: Reprodução - Google)
Manaus anuncia retorno das aulas na rede pública a partir de 10 de agosto (Imagem: Reprodução – Google)
publicidade

Para poder aplicar as ações de retomada, o governador explicou que os centros só atuarão com 50% da capacidade total de alunos. Além disso, haverá um distanciamento entre as cadeiras e parte deles assistirão as aulas por uma tela de TV e pelas redes sociais.  

É válido ressaltar que, em Manaus, as aulas da rede pública estão suspensas desde o mês de março, quando começaram a surgir os primeiros casos do novo coronavírus.

O gestor reforçou ainda que, o plano de reabertura foi desenvolvido com a autorização da Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM) e que adotará todos os cuidados necessários.  

De acordo com o secretário estadual executivo de Educação, Luis Fabian, a decisão tem como objetivo concluir o ano letivo com 800 horas. Por isso, as atividades digitais serão amplificadas para suprir a ausência física.  

Aulas de Manaus contarão com: 

  • Uso obrigatório de máscaras entre alunos, professores e demais colaboradores; 
  • Ações de conscientização das práticas higiênicas, como lavar as mãos corretamente; 
  • Distanciamento de 1,5 metro entre cada aluno e funcionário, dentro e fora da sala de aula; 
  • Procedimentos de higienização constante para evitar o vírus. 

Retorno em sistema de rodízio 

Para evitar que os alunos se aglomeres, as atividades estudantis voltarão a ocorrer em divisão de blocos, sendo eles A e B. Isso resultará em uma divisão semanal onde os estudantes estarão presentes nos centros de ensino. Veja a escala: 

  • Às segundas e quartas-feiras, o bloco A assiste às aulas presenciais; 
  • Às terças e quintas-feiras, o bloco B assiste às aulas presenciais; 
  • Nas sextas-feiras as escolas ficam disponíveis apenas para professores, de modo que façam o planejamento dos conteúdos. 

Quando estiverem em casa, os estudantes deverão continuar exercendo suas atividades por meio do acesso remoto que oferecerá listas de exercícios e vídeo aulas mediante a uma programação especializada. 

Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco e formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguagens. No mercado de trabalho, já passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de ter assessorado marcas nacionais como a Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR.