publicidade

A equipe econômica do Governo Federal estuda limitar famílias que recebem mais de um benefício com a finalidade de conseguir um orçamento maior para o Renda Brasil. Um programa social que ainda está em estudo. Além disso, não tem previsão de quando o projeto chegará ao Congresso Nacional.

Renda Brasil: Criação do programa pode cancelar benefícios pagos às famílias
Renda Brasil: Criação do programa pode cancelar benefícios pagos às famílias (Imagem: Reprodução Google)
publicidade

Um estudo elaborado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) mostra que 15,4 milhões de famílias no país, recebem auxílios como abono salarial e salário-família.

Esses são alguns dos principais benefícios que estão na mira do governo para obter um orçamento para o novo programa social. 

Desse modo, a equipe econômica liderada pelo ministro Paulo Guedes tem a finalidade de limitar essa acumulação dos benefícios para abrir espaço para o Renda Brasil. 

Programas sociais na mira do Renda Brasil

O salário família é um auxílio pago aos trabalhadores, sejam formais ou autônomos, que contribuem para a Previdência Social. Sendo assim, o valor do salário varia de acordo com a quantidade de filhos no espaço familiar. 

Já o abono salarial funciona como um 14º salário para os trabalhadores, e o valor é de um salário mínimo (R$ 1.045). Esse benefício é pago apenas para trabalhadores formais, com carteira assinada, no mercado de trabalho. 

Novo programa social 

A equipe econômica do governo argumenta que esses benefícios vão para famílias que estão acima da linha da pobreza. Além disso, também apoiam a ideia de que há uma restrição orçamentária. Portanto, é um tipo de gasto alto, mas mal focado. 

Assim, o governo pretende usar o argumento para o congresso de que esses recursos precisam ser distribuídos de uma maneira melhor. Com o objetivo de pegar esses programas sociais já existentes e fundi-los com o Renda Brasil. 

Além do abono salarial e salário-família, outros programas governamentais que estão na mira desta fusão são o próprio Bolsa Família e o Seguro Defeso. Este último é pago para pescador artesanal. Aproximadamente, o orçamento para este auxílio é de R$ 2 bilhão por ano. 

Aliás, o governo também estuda uma forma de que pessoas que não precisem desses benefícios, não tenham acesso aos mesmos. Pelo fato de que são direcionados à famílias com renda mais baixa. Uma forma de otimizar os gastos na área. 

Mariana Cristina Rocha dos Santos é formada em Comunicação Social – Jornalismo pela Universidade Federal do Espírito Santo. Possui experiência em comunicação interna e externa no Teatro Carlos Gomes, espaço histórico-cultural capixaba. Além de produção para televisão, com pautas para programa de entretenimento, chamadas televisivas, spot para rádios e mídias sociais na TV Gazeta (afiliada à Rede Globo). Atualmente dedica-se a redação portal FDR.