Dicas para começar a investir em ações sem riscos

Baixa nas taxas de juros estimula o mercado de investimentos. Com a pandemia do novo coronavírus, muitos brasileiros passaram investir em ações financeiras como forma de garantir recursos mediante a crise econômica. Para quem tem a oportunidade de fazer tais investimentos, o cenário é de instabilidade e requer um pouco mais de atenção e cuidado na hora de injetar o dinheiro.

Dicas para começar a investir em ações sem riscos (Imagem: Reprodução - Google)
Dicas para começar a investir em ações sem riscos (Imagem: Reprodução – Google)

Abaixo, listamos 5 dicas essenciais para você entender como funciona esse segmento. Confira 

Tenha sempre uma reserva de emergência 

A primeira e mais importante dica a pôr em prática é guardar sempre um valor destinado para emergência. Essa quantia não deve ser aplicada em lugar algum e só pode ser utilizada em casos específicos onde a renda mensal não seja o suficiente para suprir tal despesa.

Desse modo, mesmo se for fazer o investimento, não esqueça de separar uma quantia x e assim evite preocupações e entradas em crise.  

O dinheiro aplicado não pode ser destinado para outras contas 

Similar a dica anterior, essa é importante para que você lembre-se de que o valor aplicado não poderá ser retirado imediatamente, sendo assim ele só pode ser investido se estiver 100% livre.

Depois de guardar o intitulado emergencial, se organize para ter a garantia de que o montante destinado para a aplicação não deveria ser utilizado em alguma outra transação ou despesa. Depois de investido, se retirado você deverá ter perdas e terá um prejuízo certeiro.  

Faça aplicações com seu próprio dinheiro 

Já que optou pelas aplicações, esteja ciente de que o valor é seu. Tendo em vista a instabilidade do atual mercado financeiro, solicitar recursos de terceiros para uma possível devolução poderá lhe causar dores de cabeça, caso seu investimento não dê resultados positivos de forma imediata. Além disso, não cogite a possibilidade de recorrer a bancos, fazer empréstimos ou financiamentos, pois isso lhe sairá ainda mais caro considerando as taxas de serviços das instituições.  

“A conta que se faz é: com a Selic a 2,5% ao ano, posso comprar ações de uma empresa que pague dividendos de 6% e, com a diferença, quito os juros do empréstimo. Porém, a bolsa é considerada um investimento em renda variável, e a renda variável varia para cima e também para baixo. Caso por algum motivo uma empresa deixe de gerar um bom rendimento, o investidor vai ter que arcar com os custos do empréstimo sozinho”, explica Louise Barsi, filha do lendário megainvestidor brasileiro Luiz Barsi, 

Avalie os setores perenes 

As empresas de serviços essenciais são as mais seguras para fazer os investimentos. Distribuidoras de energia, por exemplo, apresentam um índice baixíssimo de falência e por isso podem te garantir uma maior segurança.  

Se informe sobre a empresa antes de investir 

Por último, mas não menos importante, tenha total conhecimento sobre a empresa onde está aplicando seu dinheiro. Política de privacidade, valores, experiências de outros clientes, entre outras informações, são importantes para que você não se surpreenda negativamente.  

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestra em ciências da linguagem pela Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo na mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR, onde já acumula anos de experiência e pesquisas sobre economia popular e direitos sociais.