Depois de um mês de altas seguidas no índice de desemprego em meio a pandemia do coronavírus, finalmente temos a primeira queda nos números. As informações são de um levantamento divulgado nesta sexta-feira (10) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

publicidade
IBGE divulga queda nos índices de desemprego do país; veja!
IBGE divulga queda nos índices de desemprego do país; veja! (Foto: Google)
publicidade

O IBGE informou que 11.753 milhões de brasileiros estavam sem emprego na terceira semana de junho, 100 mil a menos na comparação com a semana anterior. Mas quando comparado com a primeira semana de maio, observamos uma alta de cerca de 2 milhões de desempregados no Brasil.

Imagem: Reprodução/G1

O levantamento do Instituto foi realizado entre 14 e 20 de junho através da Pnad Covid19, versão da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua que é feita com apoio do Ministério da Saúde e serve para identificar os impactos da pandemia no mercado de trabalho e para quantificar as pessoas com sintomas associados à síndrome gripal no Brasil.

Mesmo que a Pnad Covid19 também faça uma avaliação do mercado de trabalho, ela não é comparável aos dados obtidos pela Pnad Contínua, que é a base do indicador oficial do desemprego no país, em razão de suas características metodológicas, que são diferentes.

Informalidade volta a cair

O trabalho informal que vinha sendo uma maneira de manter uma ocupação no mercado de trabalho, caiu pela segunda semana consecutiva. Segundo a pesquisa, cerca de 28,4 milhões de brasileiros trabalhavam de forma informal na terceira semana do mês passado, uma média de 800 mil a menos que na semana anterior.

O IBGE classifica como trabalhador informal aqueles trabalhadores do setor privado que não tem carteira assinada, trabalhadores domésticos sem carteira, trabalhadores por conta própria sem CNPJ e empregadores sem CNPJ, e ainda pessoas que ajudam parentes.

O índice de informalidade foi de 35% para 33,9% entre a segunda e a terceira semana de junho, o que segundo o IBGE é considerado estabilidade do indicador.

Cai o número de afastamentos do trabalho

A pesquisa mostrou também que o número de trabalhadores afastados do trabalho em razão do isolamento social continuou caindo. Na terceira semana do mês passado, 11,1 milhões estavam afastados, que representa cerca de 1,3 milhão a menos que na semana anterior.

Paulo Henrique Oliveira, formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo, atua como do redator do portal FDR produzindo matérias sobre economia em geral e também como repórter do site Aparato do Entretenimento cobrindo o mundo da TV e das artes.