Governo vai liberar mais R$1,2 mil de auxílio emergencial por trabalhador; entenda como!

PONTOS CHAVES

  • Valor final das novas parcelas do auxílio emergencial foi confirmado
  • Governo reajusta proposta inicialmente divulgada
  • Beneficiários deverão receber em 4 parcelas
  • Calendários de pagamento começam em julho

Novos pagamentos do auxílio emergencial são confirmados pelo governo. Na última semana, o presidente Jair Bolsonaro e o ministro da economia, Paulo Guedes, informaram que haverão novas parcelas do coronavoucher. A prorrogação do benefício fará com que cada cidadão receba mais R$ 1,200, ofertados durante os meses de julho e agosto. O calendário e a quantidade total de parcelas ainda estão sendo negociados, mas deverão ser liberados em breve.  

publicidade
Governo vai liberar mais R$1,2 mil de auxílio emergencial por trabalhador; entenda como! (Imagem: Reprodução - Google)
Governo vai liberar mais R$1,2 mil de auxílio emergencial por trabalhador; entenda como! (Imagem: Reprodução – Google)
publicidade

A decisão de prorrogar o pagamento do auxílio emergencial não é de hoje. Desde o mês de maio, com a extensão da pandemia do novo coronavírus, parlamentares, mídia e representantes da sociedade civil vêm solicitando novas parcelas. 

Para estes, trata-se de uma ação social necessária para evitar que milhares de brasileiros fiquem descobertos financeiramente durante um período grave de crise econômica.

Desse modo, propostas sobre os valores e formas de pagamento começaram a ser desenvolvidas, cada uma atendendo aos desejos de um grupo político específico. Entenda esses trâmites.  

Aceitação presidencial  

Ao receber a proposta de prorrogação, o presidente Jair Bolsonaro negou-se imediatamente. De acordo com ele, não haveria verba pública para custear tal decisão. No entanto, mediante a pressão da oposição e de representantes de seu próprio governo, ele começou a reconsiderar sua decisão.  

Inicialmente, Bolsonaro sugeriu duas parcelas de R$ 300, com o valor total acrescentado em R$ 600 em comparação a versão inicial da MP.

Depois, tendo em vista a reprovação na Câmara dos Deputados, precisou criar uma contra proposta, onde desejava variar a quantidade de parcelas, e ainda assim obter o total de R$ 600.  

Rodrigo Maia, presidente da Câmara, se posicionou contra, alegando que a quantia era insuficiente e não atenderia as necessidades da população. O gestor relembrou também que, estando mediante a um decreto de calamidade pública, Bolsonaro e o ministério da economia teriam recursos o suficiente para que fossem ofertadas três parcelas cada uma no valor de R$ 600. 

Imagem: Google

Decisão final  

Entre idas e vindas, na última semana, Bolsonaro e Guedes confirmaram o novo valor. A prorrogação do auxílio custará mais R$ 1.200 por cidadão e deverá ser ofertada em 4 parcelas. A primeira, de R$ 500 ainda em julho, uma segunda de R$ 100 no fim do mesmo mês e mais duas de R$ 300 em agosto. 

Guedes explicou ainda que, o governo deseja finalizar todo o cronograma de pagamentos no máximo até outubro, para que em novembro o novo programa social, intitulado de Renda Brasil, passe a funcionar.  

Atuais calendários do auxílio emergencial 

É importante ressaltar que, mediante a quantidade de cadastros aceitos pelo ministério da cidadania, o governo federal e a Caixa Econômica foram obrigados e desenvolver diversos cronogramas de pagamento. 

As datas das liberações foram separadas por lotes, que levam em consideração se os beneficiários são cadastrados no Bolsa Família, se já tinham seus dados no Cadastro Único ou se solicitaram o auxílio por meio do site ou aplicativo.  

Apenas para quem solicitou por app ou web é que foram desenvolvidos os lotes. Nesse caso, a data de pagamento varia de acordo com o período em que a pessoa foi aceita. Ao todo, foram registrados 4 lotes, sendo o primeiro para quem se cadastrou até o dia 30 de abril.  

Confira as datas de pagamento do auxílio emergencial

Este mesmo cronograma é válido para três grupos distintos. O primeiro vai receber a terceira parcela, o outro receberá a segunda parcela e o último terá direito ao primeiro pagamento.

Calendário de saques auxílio emergencial em julho 

Data  Quem recebe  
18 de julho  nascidos em janeiro  
25 de julho  nascidos em fevereiro  
1º de agosto  nascidos em março  
8 de agosto  nascidos em abril  
15 de agosto  nascidos em maio  
29 de agosto  nascidos em junho  
1º de setembro  nascidos em julho  
8 de setembro  nascidos em agosto  
10 de setembro  nascidos em setembro  
12 de setembro  nascidos em outubro  
15 de setembro  nascidos em novembro  
19 de setembro  nascidos em dezembro 

 

PRIMEIRO LOTE DE APROVADOS  

Terceira parcela – liberada entre 27 de junho e 4 de julho na poupança digital e 18 de julho até 19 de agosto para saque (veja o calendário acima)   

SEGUNDO LOTE DE APROVADOS  

Segunda parcela – paga entre os dias 26 de junho a 4 de julho pela poupança digital e permitida para saque entre 18 de julho e 19 de agosto (tabela publicada acima);  

TERCEIRO LOTE DE APROVADOS  

Primeira parcela – pagamento pela conta digital iniciado no 16 de junho para nascidos entre janeiro e junho, 17 de junho para nascidos entre julho e dezembro. Permissão para saque 6 e 17 de julho;   

QUARTO LOTE DE APROVADOS  

Primeira parcela – paga pela conta digital entre 27 de junho e 4 de julho. Saque permitido entre 18 de julho e 19 de agosto (tabela publicada acima);  

Eduarda AndradeEduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco e formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguagens. No mercado de trabalho, já passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de ter assessorado marcas nacionais como a Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR.