publicidade

No mundo dos investimentos, diversas medidas são utilizadas por investidores para garantir uma renda mensal e aplicação de dinheiro em pontos específicos. Este público deve ficar atentos para novidades, principalmente para o investimento no Tesouro.

Faz investimento no Tesouro? Atenção para a taxa que será cobrada na SUA conta este mês (Reprodução/Internet)
Faz investimento no Tesouro? Atenção para a taxa que será cobrada na SUA conta este mês (Reprodução/Internet)
publicidade

Isto porque, neste mês os investidores irão realizar o pagamento de cobrança que é comum para esta aplicação. Chamada de taxa de custódia, o procedimento é feito duas vezes ao ano, em janeiro e julho. A partir do pagamento, contribuinte deverá ficar atento.

O custo da taxa é de 0,125% sobre o total aplicado. Este valor é descontado diretamente na conta do cliente na instituição financeira (banco ou corretora) pela qual os títulos foram comprados.

Ao realizar a cobrança, o banco faz o débito em conta. Uma das recomendações é de que o mesmo tenha saldo suficiente na conta para o pagamento da taxa. Caso contrário, em alguns casos, poderá entrar no cheque especial – que incidem juros.

Este pagamento da taxa de custódia é obrigatório e faz referência aos serviços nos quais incidem sobre a guarda dos títulos, informações de conta e movimentações dos saldos. A mesma é provisionada diariamente a partir da liquidação da operação de compra.

É importante lembrar que só pagam o valor aqueles que tem valores menores de R$ 5 milhões. Sendo assim, caso haja aplicações que ultrapassem esse valor, não será necessária realizar a cobrança excedente.

Cobrada semestralmente, sendo em duas parcelas de 0,125%, totalizando 0,25% ao ano, a tarifa é correspondente ao fluxo de remuneração para a B3, a Bolsa de Valores, no qual faz  guarda dos títulos e das informações dos investidores.

Esta é a única taxa obrigatória no Tesouro Direto. Para realizar a consulta, o investidor deverá realizar o seguinte procedimento: acessar o site do Tesouro Direto. Realizar o login, informando CPF e senha.

Ao estar conectado, investidor tem de clicar na aba “Consultar”, no menu superior, e depois em “Taxa de administração semestral”. Caso a taxa a ser paga fique abaixo de R$ 10, o Tesouro não vai descontá-la agora. O valor será acumulado ao da próxima cobrança, que ocorrerá em janeiro de 2021.

Juan Gouveia é formado em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP). É redator do portal FDR, produzindo pautas sobre economia popular, direitos trabalhistas e finanças diariamente.