Portabilidade de financiamentos imobiliários tem crescimento incrível; saiba o que significa!

Em 2019, cresceu em 200% a portabilidade dos financiamentos imobiliários para a compra da tão sonhada casa própria e atingiu 4.610 operações, de acordo com as informações do Banco Central. Se considerarmos as renegociações de contratos com o mesmo banco, o processo chega a uma média de 6 mil operações no último ano, no valor de R$2,15 bilhões.

Portabilidade de financiamento imobiliário tem crescimento incrível; saiba o que significa!
Portabilidade de financiamentos imobiliários tem crescimento incrível; saiba o que significa! (Foto Google)

O Banco Central explica que ao fazer a portabilidade, o tomador pode mudar seu contrato de crédito para outra instituição que venha a ofertar condições mais atraentes. O tomador consegue também renegociar seu contrato original com a instituição na qual tem seu financiamento imobiliário, e terá condições melhores.

Além dos exemplos citados, o Banco Central diz que existem renegociações de mercado, que é quando o tomador e o banco fazem um acordo de redução das taxas, sem que aja o envolvimento de outro banco no processo. No ano passado, foram cerca de 30 mil contratos renegociados nesta modalidade, o que representa R$9.94 bilhões).

Juros menores

A queda dos juros básicos da economia nos últimos anos, tem estimulado o aumento na portabilidade de crédito que acaba refletindo nas outras linhas de crédito, segundo o BC. Neste momento, a taxa Selic está em 3% ao ano, registrando sua mínima histórica.

A mediana das novas taxas das operações portadas foi de 7,71% ao ano em 2019, resultando, de acordo com o BC, uma redução de 2,99 pontos percentuais em relação à mediana das taxas originais dos contratos.

O Banco Central segue e diz que “A maior parte dos contratos portados (79,1%) foi de créditos originados entre o segundo semestre de 2015 e o primeiro de 2017, período que apresenta as maiores taxas de mercado no passado recente”.

Novos financiamentos imobiliários

Levando em conta somente as operações fechadas antes de 2019, adimplentes e com taxas de juros maiores que 10%, o sistema financeiro contabiliza 570 mil operações que equivalem R$102,8 bilhões, que teriam a possibilidade de se favorecer da portabilidade direta ou indiretamente.

“Os 36 mil contratos que se beneficiaram com redução de taxa de juros em 2019 representam apenas 6,4% desse potencial. Se as taxas de mercado se mantiverem em patamares historicamente baixos, há ainda elevado potencial para ganhos com a portabilidade do crédito imobiliário”, finalizou o Banco Central.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira é formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo. Atua como redator do portal FDR, onde já cumula vasta experiência e pesquisas, produzindo matérias sobre economia, finanças e investimentos.