ESTE grupo pode ter o auxílio emergencial cortado nas próximas parcelas

A primeira parcela do auxílio emergencial saiu com uma certa dificuldade, pois muitos trabalhadores ficaram presos no cadastro feito através do site ou aplicativo. Agora, de acordo com o Ministério da Cidadania, as próximas parcelas sofreram uma ‘reanálise’ para evitar que beneficiários indevidos continuem recebendo.

publicidade
Este grupo pode ter o auxílio emergencial cortado nas próximas parcelas
Este grupo pode ter o auxílio emergencial cortado nas próximas parcelas ( Imagem: Reprodução Google)
publicidade

Em resumo, ter recebido a primeira parcela não é garantia de receber os próximos dois ou três lotes. O objetivo da medida é evitar que pessoas que não estejam mais no grupo de beneficiários sejam pagos indevidamente.

Por exemplo: um determinado indivíduo estava desempregado e recebeu a primeira parcela, tempos depois acabou sendo contratado por alguma empresa e neste caso, deixou de fazer parte do grupo de beneficiários.

O sistema vai reavaliar a base de dados atuais, pois ao conseguir um novo trabalho, o beneficiário tem a informação inserida em sua carteira de trabalho, que atualmente é digital. Dessa forma, é possível identificar aqueles que não fazem mais parte do grupo com direito ao auxílio,

As pessoas com novo emprego não serão as únicas com o auxílio cortado. Aqueles que passarem a receber um novo tipo de benefício também estarão fora dos novos pagamentos.

Por exemplo: começarem a receber aposentadoria ou uma pensão por morte, entre as datas da primeira e da segunda parcelas.

Regras que excluem o beneficiário dos próximos pagamentos do auxílio emergencial

  • Ser empregado com carteira assinada
  • Estar recebendo seguro-desemprego
  • Ser aposentado ou pensionista do INSS
  • Receber demais benefícios, com exceção do Bolsa Família: Benefício de Prestação Continuada (BPC/Loas); auxílio-doença; Garantia Safra; seguro-defeso
  • Ser de família com renda mensal por pessoa acima de meio salário mínimo (R$ 522,50)
  • Ter renda familiar mensal total maior do que três salários mínimos (R$ 3.135)
  • Ter mais do que duas pessoas que recebem Bolsa Família na mesma família
  • Ter CPF irregular

No último dia 29, a Caixa Econômica Federal (CEF) terminou de pagar a segunda parcela do auxílio emergencial aos beneficiários do Bolsa Família. Nesta rodada de pagamentos, foram contemplados os usuários com o número do NIS de final 0.

No sábado se iniciou o calendário de saques dos beneficiários que se cadastraram através do site ou aplicativo. Nesse caso, o calendário segue a regra do mês de nascimento do usuário.

AvatarAmanda Castro
Amanda Castro é graduada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP). É responsável pela área de negócios, tráfego e otimização SEO do portal FDR. Além disso, é também redatora do portal FDR, produzindo pautas sobre economia popular, finanças e programas sociais.