Entenda como o dólar influencia na movimentação do agronegócio

Em tempos de economia abalada pela pandemia global do coronavírus, o agronegócio vai na contramão e permanece avançando. O crescimento estimado do setor é de até 3% ao ano, contra uma retração da economia de até 7% em algumas previsões. As vantagens criadas pela pandemia no mercado internacional é aproveitada pela agropecuária.

Entenda como o dólar influencia na movimentação do agronegócio
Entenda como o dólar influencia na movimentação do agronegócio (Foto Google)

O Brasil que é conhecido como “fornecedor fiel” de alimentos conseguiu atrair novos mercados no exterior em meio a todos os problemas econômicos. E bateu recorde em exportações agrícolas, impulsionadas pela alta do dólar causada pela crise na saúde, economia e política.

No Brasil, mesmo com as restrições devido ao isolamento social, os produtores deram conta de manter o abastecimento do país, num momento em que a prioridade da população é a compra de alimentos.

O Ministério da Agricultura informou que 21 novos mercados foram conquistados pelos produtos agropecuários brasileiros desde o mês de março, inicio da pandemia. Os acordos englobam suínos, aves, carnes e lácteos para onze países: Argentina, Colômbia, Peru, EUA, Irã, Taiwan, Tailândia, Emirados Árabes, Egito, Marrocos e Austrália.

O gerente da consultoria AgResource Tarso Veloso, observa que a agricultura após a pandemia, será diferente para cada produtor global. Entre os países que sairão fortes estão o Brasil e a Argentina, como o Brasil despontando. Já os Estados Unidos deve ficar para trás.

Ele também se surpreendeu com o fato do Brasil não ter fechado estradas e portos e por ter conseguido embarcar volumes recordes em meio a pandemia do coronavírus.

Na última semana, o Ipea, divulgou a estimativa de crescimento do PIB agropecuário em 2,5% para 2020.

Os dados apresentados pela CNA (Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária do Brasil), revelaram que as vendas de agricultores e pecuaristas ao exterior, estão em alta de 5,9% entre janeiro a abril, com um total de vendas de U$$31,4 bilhões, que representa em comparação com o ano passado, U$$1,75 bilhão.

Agronegócio na contramão do PIB

Levando em consideração os resultados dos primeiros meses do ano, a CNA projeta um crescimento no agronegócio entre 2% e 3% este ano. Desta forma, a participação do setor no PIB deve subir de 21,4% em 2019 para 23,6% este ano.

No primeiro trimestre deste ano, alavancado pela safra recorde de soja, o PIB da agropecuária avançou 0,6% em relação ao último trimestre de 2019, ao mesmo tempo em que toda a economia do país encolheu 1,5%, segundo o IBGE.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira é formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo. Atua como redator do portal FDR, onde já cumula vasta experiência e pesquisas, produzindo matérias sobre economia, finanças e investimentos.