publicidade

Uma das novas medidas anunciadas pelo governo federal durante o período de pandemia do novo coronavírus é a liberação de auxílios emergenciais, nos quais servem para ajudar a população neste momento de crise. Ainda no pacote de ações, a mais recente proposta divulgada pelo governo é o novo saque FGTS que será disponibilizado para os trabalhadores com vínculo empregatício que realiza depósitos no Fundo de Garantia de Serviço (FGTS).

FGTS de R$1.045: Tudo o que já foi liberado sobre o novo pagamento (Reprodução/Internet)
FGTS de R$1.045: Tudo o que já foi liberado sobre o novo pagamento (Reprodução/Internet)
publicidade

Pouco se sabe ainda sobre o repasse do valor, mas a expectativa dita pelo governo federal é que os repasses comecem a partir do próximo mês, em junho. A data ainda é uma incógnita, mas trabalha-se no dia 15 do mesmo mês.

Vale destacar que deve ser um prazo diferente dos saques do auxílio emergencial, para evitar aglomerações. O valor será correspondente as contas ativas e inativas, o máximo a ser recebido será de um salário mínimo, ou seja, R$ 1.045.

A quantia varia de acordo com que o trabalhador tem depositado em sua conta, seja ela ativa ou inativa. O calendário de recebimentos do FGTS, por sua vez, também não foi divulgado por nenhuma fonte segura ligada ao governo.

Quem tem direito ao recebimento do FGTS?

Terão direito os trabalhadores que possuem saldo nas contas do FGTS. Ainda é preciso ficar atento aos valores em conta, pois o máximo a ser retirado deve ser de um salário mínimo, independente do quanto o cidadão possuí em cada fundo.

Caso o trabalhador tenha mais de uma conta, ele poderá juntar os valores de cada uma delas para que no total fique com o valor igual ou próximo a R$1.045. Terá prioridade no calendário de saque os brasileiros que possuem apenas contas inativas e contas com menos saldo.

Como realizar a consulta do saldo em conta

A consulta dos valores pode ser realizada através do site da Caixa ou pelo aplicativo do FGTS, disponível para download na Google Play e na AppStore. É necessário ter em mãos número do NIS (o seu número de Identificação Social) ou CPF.

Como será feito o pagamento

Apesar da previsão de iniciar os repasses no mês de junho, pouco se sabe como será o pagamento e também o calendário. Mas de acordo com interlocutores ligados à Caixa Econômica Federal, banco responsável pelo repasse, neste ano, por causa da pandemia, será diferente.

Os beneficiários irão utilizar o aplicativo Caixa Tem, para realizar a movimentação do dinheiro até a liberação do saque. Medida visa impedir a formação de aglomerações nas agências bancárias.

Com isto, o repasse sendo feito pelo app, o beneficiário poderá realizar pagamentos e, posteriormente, assim como no auxílio emergencial, realizar o saque e também a transferências dos valores.

COMENTÁRIOS

Juan Gouveia, formado em jornalismo pela Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP). É redator do portal FDR, produzindo pautas sobre economia popular, direitos trabalhistas e finanças diariamente.

VEJA TAMBÉM