Contas de luz: número de inadimplentes sobe e alcança número impressionante

Crise do coronavírus apresenta um risco para as empresas de energia. Nessa terça-feira (5), o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, informou que o número de inadimplência nas contas de luz atingiu a marca de 12%, nos últimos 30 dias. Segundo ele, o mercado já registou uma perda de mais de R$ 1,8 bilhões, levando em consideração apenas o primeiro mês da pandemia.  

Conta de luz: número de inadimplentes sobe e alcança número impressionante (Imagem: Reprodução - Google)
Contas de luz: número de inadimplentes sobe e alcança número impressionante (Imagem: Reprodução – Google)

Um dos principais motivos para o crescimento dessa estatística está relacionado a medida provisória na qual permite que os cidadãos fiquem, pelos próximos três meses, com as contas suspensas.

A MP, validada pelo presidente Jair Bolsonaro, proíbe as distribuidoras de cortar a energia da população, mesmo que os valores estejam em atraso.  

Desde então, o número de pagamentos vem diminuindo gradativamente. Para evitar a crise e estimular a prestação de contas, há regiões que estão oferecendo programas de pontos e descontos. No entanto, ainda assim os reajustes não são o suficiente para fazer com que os moradores quitem seus débitos.  

Conforme o calendário publicado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), a proibição do corte se manterá até o fim de junho e estará sujeita a prorrogação a depender do controle da pandemia.  

Efeitos da inadimplência das contas de luz 

Mediante a esse cenário, o governo federal vem elaborando uma proposta que tem como finalidade conceder empréstimo às empresas de energia. No dia 8 de abril, Bolsonaro enviou uma MP (número 950) solicitando a abertura desse caminho de crédito.  

Sua proposta funcionará como uma espécie de antecipação para as marcas, utilizada para suprir os valores não pagos nas contas de luz pelos cidadãos.

Posteriormente, a quantia será devolvida. No que diz respeito aos valores aprovados, taxações de juros e validade, o governo informou que está fechando a pauta e deverá anunciar em breve.  

Criação de fundos setoriais  

Outra proposta, informada por Bento Albuquerque, durante videoconferência da Associação Brasileira das Indústrias de Base (Abdib), é a chance de arrecadar recursos de fundos setoriais.

Para isso, segundo o representante, o governo iria redistribuir valores destinados a pesquisas e ações de eficiência energética, de modo que pudesse auxiliar as marcas durante a crise. 

“Para que a gente não venha onerar ainda mais o setor. Esses recursos seriam utilizados de forma racional para que a gente possa fazer frente à operação de crédito junto aos bancos”, disse. 

 

Você gostou deste conteúdo? AVALIE:

Avaliação média: 0
Total de Votos: 0

Contas de luz: número de inadimplentes sobe e alcança número impressionante

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA