Cadastro no auxílio emergencial deve ser refeito por 12 milhões de pessoas

Ao menos 12,4 milhões de brasileiros que se inscreveram para receber o auxílio emergencial de R$600 devem refazer os seus cadastros pelo site ou pelo aplicativo do programa.

Cadastro no auxílio emergencial deve ser refeito por 12 milhões de pessoas
Cadastro no auxílio emergencial deve ser refeito por 12 milhões de pessoas (Imagem/ Montagem FDR)
publicidade

De acordo com a Caixa Econômica Federal, esse é o número de inscritos que tiveram os seus cadastros avaliados como “Inconclusivos”.

Isto é, que inseriram informações que não foram possíveis de serem analisadas no primeiro cadastramento, por exemplo, dados divergentes sobre o endereço, dependentes, CPF, entre outros.

De acordo com o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, apenas os trabalhadores que foram determinados como inconclusivos podem refazer essa solicitação. 

Aqueles que as sua solicitação foi negada e tiveram resposta como inelegíveis estão excluídos definitivamente. “Inelegíveis não podem recadastrar, só os inconclusivos”, afirmou.

Na última sexta-feira (1), os dados que foram divulgados pela Caixa apontam que de um total de 97 milhões de cadastros no programa, 50,1 milhões foram aprovados e outros 5,2 milhões ainda estão passando pela primeira análise. 

Os demais, dos 26,1 milhões foram considerados inelegíveis e 12,4 milhões de cadastros foram inconclusivos. 

“Qualquer um desses 12 milhões podem e devem se recadastrar”, disse Guimarães.

O recadastramento deve ser feito via aplicativo ou site, da mesma forma que foi feita a primeira inscrição, de acordo com Guimarães.

A Dataprev, empresa responsável por identificar quem tem direito a receber o auxílio emergencial de R$ 600, informou dados ligeiramente diferentes.

Segundo a empresa, dos 96,9 milhões de CPFs que já foram analisados e enviados à Caixa Econômica Federal, 50,52 milhões atenderam aos critérios da lei e foram considerados elegíveis para receber o benefício.

Os outros 32,77 milhões estão inelegíveis e 13,67 milhões foram considerados como inconclusivos.

O calendário de pagamento da segunda parcela ainda não foi divulgado, mas segundo o presidente devem ser publicadas nesta semana.

A Caixa até chegou a anunciar a antecipação dos pagamentos, mas cancelou dias depois e uma nova data ainda não foi apresentada.

Esse pagamento da segunda parcela engloba os inscritos no aplicativo e site e inscritos no Cadastro Único que não recebem Bolsa Família. Os inscritos no programa federal poderão sacar a 2ª parcela conforme calendário de maio. 

Jheniffer FreitasJheniffer Freitas
Jheniffer Aparecida Corrêa Freitas é formada em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e da Secretarial Estadual da Saúde de São Paulo. Atualmente, é redatora do portal FDR, produzindo pautas sobre economia popular e finanças.