Novo Minha Casa Minha Vida é pausado e ganha outra data

Min Nessa semana, o secretário Nacional de Habitação do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), Alfredo Eduardo dos Santos, informou que o programa terá os financiamentos e construções suspensos por período indeterminado. De acordo com ele, as atividades só serão retomadas após a estabilização econômica e nacional da pandemia do coronavírus que está em circulação desde o mês de fevereiro.

Novo Minha Casa Minha Vida é pausado e ganha nova data (Imagem: Reprodução - Google)
Novo Minha Casa Minha Vida é pausado e ganha nova data (Imagem: Reprodução – Google)

A medida foi anunciada em uma reunião com representantes da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) e com a Associação Brasileira das Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc). Ambos os grupos foram informados que, por enquanto, quaisquer serviços relacionados a liberação dos conjuntos habitacionais deverão ser paralisados.

Leia também: Minha Casa Minha Vida será subsidiado com recursos do FGTS; veja como vai funcionar!

Questionado sobre os efeitos que essa pausa irá gerar no mercado imobiliário e também na população, Alfredo afirmou que são dados que ainda devem ser contabilizados por sua equipe. No entanto, segundo ele, no momento a continuidade do projeto é completamente inviável.

Como defesa, o secretário alega que a realização de obras agora põe em risco a vida dos trabalhadores que irão atuar nas mesmas. Além disso, relembra que os beneficiários devem manter-se dentro de suas casas, sem saídas para negociações em instituições financeiras.

Quanto a liberação de verbas, ele garantiu que o valor não será modificado e que a quantia prevista com a aprovação de Lei Orçamentária se sustentará, tendo em vista que o país está em estado de calamidade pública. Desse modo, o governo ainda terá recursos para garantir o funcionamento do MCMV, sem resultar em cortes ou reajustes.

Leia também: COMEÇA HOJE: Pagamento dos R$600 a informais inscritos no CadÚnico

Áreas beneficiadas

Após ser retomado, o programa passará a ter como foco as regiões Norte e Nordeste. De acordo com Alfredo, a ideia é que sejam liberados benefícios para aqueles que apresentem uma renda de até R$ 2,6 mil, inclusos na chamada faixa 1 do MCMV.

“O ministro [de Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho] disse que temos que deixar o programa pronto”, disse o secretário. “A ideia é que, até uma semana após a Páscoa, tenha um projeto pronto e com as questões legislativas encaminhadas”, ressaltou.

Por fim, explicou também que, apesar das medidas, o ministério não irá propor uma atualização da faixa de renda para a categoria 1. “Não temos imaginado alteração nessa [faixa de] renda pois consome muito subsídio”, reforçou.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA