Declaração do IRPF 2020: contribuintes ganham mais tempo para entregar

Nesta quarta-feira (1), o secretário da Receita Federal, José Tostes, anunciou que o governo vai adiar a entrega do Imposto de Renda da Pessoa Física deste ano. A declaração do IRPF 2020 que seria aceita até o dia 30 de abril, passa para 30 de junho. Isso por conta da pandemia do Covid-19.

Declaração do IRPF 2020: contribuintes ganham mais tempo para entregar
Declaração do IRPF 2020: contribuintes ganham mais tempo para entregar (Imagem:Montagem/FDR)

Em entrevista ao Estadão, o secretário José Tostes afirmou que o prazo prorrogado por dois meses pode ajudar os cidadãos a se organizarem melhor.

Leia Também: Declaração do IR 2020 entra em pauta nessa semana para alterar prazo de entrega

Até 30 de março, um mês antes da data limite inicial para entrega, a Receita Federal havia recebido 8,1 milhão de documentos. Segundo o secretário, 27% dos contribuintes já entregaram a declaração do IRPF 2020. O esperado é que sejam enviados pelo menos 32 milhões.

Algumas entidades como a Confederação Nacional da Indústria (CNI) e os próprios auditores fiscais, pediram pela prorrogação do prazo de entrega do IR.

 “Contribuintes relatam dificuldades de acesso a documentos necessários para declaração do IR, por isso tomamos essa decisão”, completou. 

Além disso, Tostes anunciou que o governo vai zerar por 90 dias a alíquota do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF).

Esse é um imposto que incide sobre operações de crédito. Também foi comunicado o adiamento do pagamento de tributos federais para empresas. 

A desoneração do IOF foi adotada para baratear as linhas de financiamento que estão sendo abertas. 

Isso para reduzir o impacto econômico da pandemia. A medida deve custar em média R$7 bilhões aos cofres públicos.

Também foram adiados os pagamentos das contribuições para o PIS/Pasep, Cofins e a contribuição patronal devidos no meses de abril e maio. Isso traz um alívio de R$80 bilhões para as empresas.

As empresas poderão realizar esse recolhimento entre os meses de agosto a outubro. “São R$ 80 bilhões que estarão disponíveis nos caixas das empresas”, completou o secretário.

Leia Também: Parcelas do MCMV podem ficar suspensas no Ceará em pedido do MPF

Aqueles que possuem restituição para receber, devem ficar atentos, pois o governo está verificando se o pagamento será realizado no próximo mês, como já havia sido informado. Por conta da prorrogação nos recebimentos, o calendário das restituições também pode ser alterado.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Jheniffer Freitas
Jheniffer Aparecida Corrêa Freitas é formada em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e da Secretarial Estadual da Saúde de São Paulo. Atualmente, é redatora do portal FDR, produzindo pautas sobre economia popular e finanças.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA