Desemprego! Em fevereiro nível de pessoas sem ocupação impressionou

Em fevereiro o nível de desemprego subiu para 11,6% atingindo 12,3 milhões de pessoas. Na época, os comércios ainda estavam funcionando normalmente e o contágio com o coronavírus não impactava fortemente a economia do país, em comparação com março.

Desemprego! Em fevereiro nível de pessoas sem ocupação impressionou
Desemprego! Em fevereiro nível de pessoas sem ocupação impressionou (Foto: Google)

Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua) e foram revelados no último dia 28 de março pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Leia Mais: Salários poderão ser reduzidos em 70% com novo contrato de trabalho

Comparando com o trimestre passado que compreende o período de novembro a janeiro, a taxa em fevereiro ficou 0,5 maior. No período mencionado, a taxa de desemprego ficou em 11,2%.

Este aumento no mês de fevereiro quebrou o ritmo de queda no desemprego dos dois trimestres passados, onde foram registrados bons números de postos de trabalho.

Os setores da construção, administração pública e serviços domésticos foram os responsáveis pelo aumento do desemprego em fevereiro.

Adriana Beringuy, analista de pesquisa avaliou que “A construção não sustentou o movimento de recuperação que ela vinha apresentando no fim do ano passado. Já a administração pública tem uma sazonalidade, pois ela dispensa pessoas no fim e no início do ano (…). O serviço doméstico está muito ligado ao período de férias das famílias, as dispensas das diaristas, já que muitas famílias viajam, interrompendo a demanda por esse serviço”.

Ao todo, o Brasil conta com com 12,3 milhões de pessoas sem ocupação, um aumento de 479 mil se comparado ao trimestre anterior. Se falarmos de uma comparação com um ano atrás, os números são favoráveis. Foram 711 mil desempregados a menos.

Importante lembrar que todos esses números foram registrados antes da crise causada pela pandemia do coronavírus que colocou o mundo em alerta. Infelizmente todos os problemas trazidos pelo vírus devem impactar negativamente os próximos índices sobre empregos.

Leia Mais: 3 lições valiosas da crise do coronavírus para o investidor de ações

A Go associados fez uma estimativa mostrando que no ápice da crise causada pelo novo coronavírus, no mês de maio, a taxa de desemprego pode atingir 15,5%, resultando em 16,5 milhões de desempregados.

Lembrando que esta estimativa não considera as medidas que estão sendo lançadas pelos governo para tentar evitar que as empresas façam demissões em massa durante a pandemia.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira, formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo, atua como do redator do portal FDR produzindo matérias sobre economia em geral e também como repórter do site Aparato do Entretenimento cobrindo o mundo da TV e das artes.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA