Salários poderão ser reduzidos em 70% com novo contrato de trabalho

De acordo com a medida provisória que realizou alterações trabalhistas no período de crise do coronavírus, as empresas poderão reduzir em até 70% os salários e as jornadas de trabalho dos funcionários.

Salários poderão ser reduzidos em 70% com novo contrato de trabalho
Salários poderão ser reduzidos em 70% com novo contrato de trabalho (Imagem: Reprodução/Google)

O texto está em discussão no Palácio do Planalto e prevê que o trabalhador vai receber, em contrapartida, uma parcela do seguro-desemprego. Caso o empregador corte 70% do salário, o governo vai entrar com o equivalente a 70% do que o trabalhador receberia de seguro-desemprego. 

Leia Também: Seguro desemprego será usado para amenizar cortes dos salários

O projeto vai incluir também os trabalhadores domésticos e as microempresas com faturamento de até R$360 mil por ano. 

A discussão do texto deve propor outros percentuais de redução salarial: de 50% e 25%. A empresa teria que optar por um deles para receber ajuda do seguro-desemprego na complementação dos salários dos trabalhadores afetados. 

Antes da medida, o percentual máximo de corte de jornada previsto pela equipe econômica era de 65% e havia uma trava para evitar que o corte atingisse todos os funcionários.

Esse recurso pode ser adotado por microempresas até empresas de grande porte, seja qual for o tipo de salário, sem tratamento diferenciado entre os setores da economia.

Se a empresa optar pelo corte de 70%, o trabalhador que, por exemplo, recebe R$10 mil passará a receber R$3 mil, somado a um percentual de 70% do seu seguro desemprego. Sendo assim, 70% de R$1.800 (teto do seguro) é R$1.260, o trabalhador receberia no total R$4.260.

Em nenhum caso os trabalhadores podem receber menos que um salário mínimo, hoje fixado em R$1.045.

O cálculo do seguro-desemprego é realizado com base na média dos últimos três salários anteriores à demissão e obedece três faixas salariais.

Aqueles que recebem até R$ 1.599,61 terão 80% da média salarial. Quem ganha acima de R$ 2.666,29, recebe um teto de R$ 1.813,03.

Leia Também: Fim do prazo! Saque do FGTS finaliza hoje (31) com R$14 bi disponíveis

De acordo com fontes que acompanham as discussões, o projeto prevê que os trabalhadores domésticos tenham direito a parcela do seguro-desemprego caso os patrões sejam obrigados a reduzir a jornada de trabalho e os salários.

Você gostou deste conteúdo? AVALIE:

Avaliação média: 0
Total de Votos: 0

Salários poderão ser reduzidos em 70% com novo contrato de trabalho

Jheniffer Freitas
Jheniffer Aparecida Corrêa Freitas é formada em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e da Secretarial Estadual da Saúde de São Paulo. Atualmente, é redatora do portal FDR, produzindo pautas sobre economia popular e finanças.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA