Covid-19: o que acontece com seus direitos trabalhistas durante quarentena

Crise do Covid-19 (coronavírus) modifica a rotina das empresas. Desde que a pandemia começou a se espalhar pelo território nacional, diversas marcas se viram obrigadas a adotar o trabalho remoto para garantir o funcionamento de suas operações. Com essa decisão, o gerenciamento de atividades precisou passar por uma série de readaptações a fim de que pudesse garantir o bom desempenho dos negócios.

Covid-19: o que acontece com seus direitos trabalhistas durante quarentena
Covid-19: o que acontece com seus direitos trabalhistas durante quarentena (Imagem: Reprodução – Google)

Os empresários estão precisando adotar estratégias digitais para poder obter o melhor desempenho dos contratados. A falta de contato físico e o fechamento de serviços vem fazendo com que a classe priorize uma nova rotina, que leve em consideração os cuidados com a saúde e a organização.

Leia também: Governo anuncia novo saque FGTS em combate ao coronavírus; entenda!

Destaque no mercado de tecnologia para recursos humanos, a Revelo é uma das marcas que vem reformulando seus métodos. Além de fornecer equipamentos como notebooks e cadeiras de escritório, a empresa está investido também em processos de terapia online.

Realizada uma vez por semana, a sessão tem por finalidade garantir o bem estar mental dos funcionários, que mediante ao cenário da pandemia podem sentir-se cansados pelo excesso de informação.

Além disso, adotou também uma nova forma de pagamento do vale alimentação, que agora está sendo feito em dinheiro, para que o trabalhador escolha como irá gastar. No que diz respeito ao bem estar físico, a equipe pode realizar exercícios por meio de uma plataforma digital, financiada pela empresa. O plano premium disponibiliza uma lista de atividades que devem ser realizadas com o acompanhamento do instrutor digital.

Já na Gupy, empresa de recrutamento de inteligência artificial, os funcionários em home office ganharam verba para comprar cadeiras e mesas confortáveis, além de ter os planos de internet financiados pela empresa.

Leia também: Auxílio dos informais de R$600 será votado hoje (30) no Senado

O modelo foi seguido também pela Muxi Tecnologia, que conta com cerca de 120 funcionários atuando em acesso remoto. Segundo Regina Dell’Aera, head de gente e gestão na Muxi, a iniciativa tem como objetivo fazer com que sua equipe sinta-se estimulada e o mais próximo possível de seu ambiente de trabalho.

Ela afirma que, em tempos de crise, cuidar dos servidores e torna-los uma prioridade garante não só o bem estar dos mesmos, como também gera melhores resultados para a marca. “A primeira ação foi colocar as pessoas em casa e depois entender as necessidades particulares de cada um para realizar sua atividade remotamente”, explicou.

Direitos trabalhistas na quarentena do coronavírus

Em suma, as empresas precisam encontrar uma forma de manter seus funcionários seguros fisicamente e financeiramente.

Para isso, a instrução é fazer um acordo amigável sobre a redução da jornada de trabalho, mantendo pelo menos 50% do salário mensal e direitos como vale alimentação e plano de saúde.

O governo federal tem buscado formas de ajudar as empresas, já que a crise do Covid-19 também reduz o caixa e capital de giro das mesmas. Para isso, foi sugerida a prorrogação de três meses do pagamento do FGTS, sendo que o funcionário não vai perder o seu direito.

Além de modalidades de empréstimos e financiamento com juros menores para bancar a fase difícil. Os trabalhadores também poderão receber parte do seu seguro desemprego de forma antecipada pelo período que ficarem afastados.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA