Fornecedores do serviço público terão pagamento antecipado com empréstimo

Mais incentivos econômicos impulsionados pela pandemia. Nessa semana, o governo federal anunciou que irá lançar uma linha de crédito para fornecedores do serviço público. A medida permitirá que os servidores possam utilizar as contratações públicas como uma espécie de seguro ao solicitar valores às instituições financeiras. O projeto ainda está em processo de finalização, mas deverá ser validado nos próximos dias.

Fornecedores do serviço público terão pagamento antecipado em empréstimo (Imagem: Reprodução - Google)
Fornecedores do serviço público terão pagamento antecipado em empréstimo (Imagem: Reprodução – Google)

Segundo dados do próprio governo, por ano, a União gasta cerca de R$ 48 bilhões com contratos terceirizados. Mediante a esse número, a equipe econômica viu a necessidade de reforçar os laços com o setor, tendo em vista a crise gerada pelo coronavírus.

Leia também: BPC 2020: benefício ganha novas regras, pagamento e número de inscritos

Apesar do projeto estar sendo avaliado desde 2019, a expansão da pandemia acabou por antecipar a validação da proposta. Se for aprovada, ela permitirá que os fornecedores de produtos ou serviços possam fazer empréstimos nos bancos, usando como garantia o contrato fechado com o órgão no qual está realizando atividades.

Desse modo, com a apresentação do documento, o banco facilitará o acesso a quantia, liberando o valor solicitado com uma taxa de desconto. Na sequência, assim que o empréstimo for feito, a instituição será ressarcida.

Plataforma de otimização para os fornecedores do serviço público

Para poder gerenciar os empréstimos, o secretário de gestão do ministério da Economia, Criatiano Rocha Hecker, afirmou que está sendo criada uma plataforma online, o Comprasnet. Trata-se de uma ferramenta onde os bancos estarão credenciados e que registrará os cadastros e valores solicitados pelos fornecedores.

“Será uma plataforma integrada com nosso banco de dados de contrato. O poder público entra como garantidor que o contrato existe. Isso é fundamental porque diminui enormemente o risco do banco”, afirmou Heckert.

Leia também: Declaração do MEI recebe nova data de entrega com prorrogação

O secretário explicou que, o serviço funcionará não só para os contratos da União, como também para os fornecedores ligados a estados e municípios. Segundo ele, mais de 400 cidades já solicitaram o acesso ao sistema.

“Estamos oferecendo nossa plataforma tecnológica para fazer os leilões. Não é obrigatório fazer o leilão pela nossa plataforma. Mas a quem não tem, estamos oferecendo a nossa. Desde o final do ano passado, um número grande de municípios pediu para usar o nosso sistema”, explicou.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA