PONTOS CHAVES

  • Pandemia do novo coronavírus impacta diretamente pequenos negócios
  • Ações simples podem ser realizadas pela sociedade civil
  • Apoio ao comércio local é a chave para manter negócios funcionando
  • Rede de solidariedade deve ser abraçada por empresas 

Neste momento em que o país passa pela pandemia do novo coronavírus, obrigando diversos estabelecimentos a fecharem suas portas para evitar a grande circulação de pessoas nas ruas, há impressionantes impactos na economia a curto e longo prazo.

publicidade
Coronavírus: veja quais atitudes o consumidor pode tomar para fortalecer o comércio local (Reprodução/Internet)
Coronavírus: veja quais atitudes o consumidor pode tomar para fortalecer o comércio local (Reprodução/Internet)
publicidade

Um dos mais prejudicados nesta situação são os pequenos empreendedores e aqueles que mantém um comércio local como fonte de renda única para sua família. A necessidade de se manter aberto para garantir uma renda faz com que muitos entrem em pânico durante a quarentena.

Leia Também: Coronavírus e a crise do comércio: a solução está nas vendas on-line?

Além de não ter um suporte financeiro e sem o fluxo de caixa ativo, cabe aos próprios brasileiros incentivarem a apoiarem os pequenos negócios. Neste momento, a união poderá ajudar na recuperação de quem não tem muitos incentivos.

Mesmo com as políticas públicas sendo criadas pelo governo federal para auxiliar este público, elas não garantem à sobrevivência do negócio. E as ações de cooperação e de sobrevivência devem contar com o apoio da sociedade civil.

Pensando nisso, especialistas detalham que todas as questões ligadas a este ponto devem ser observadas e ponderadas também por grandes empresas, que por possuírem mais estabilidade podem contornar com mais facilidade este momento de crise.

Ações para garantir o sustento durante a crise do coronavírus

Nesta fase é importante considerar o apoio aos pequenos empreendedores. E a sociedade, o cidadão comum, pode fortalecer essa corrente de maneira simples. Entre as ações está realizar a compra de forma coordenada através do delivery de restaurantes de bairro e farmácias que ainda estão abertas.

Apoiar estes pequenos negócios podem garantir a saúde do empreendimento. Há também ações como compartilhar as publicações da marca incentivando a compra por parte de amigos e conhecidos que podem contribuir, formando assim uma cadeira de beneficiários.

Além do comércio, ainda há uma outra parcela que é afetada. Os artistas e influenciadores acabam ficando sem o suporte cultural para realizar seus shows e presenças VIPS. Com isto, é importante garantir a manutenção deste público.

Uma das atividades que podem ser aplicadas é a de compartilhamento de seus materiais na internet, ouvir músicas pela plataforma de streaming autorizada e, também, não solicitar a devolução do dinheiro do ingresso para shows e eventos cancelados ou adiados mediantes a pandemia de coronavírus.

Leia Também: Cadastro dos agricultores é prorrogado por 6 meses; veja nova data!

Empreendedores individuais como professores de idiomas, psicólogos e outras atividades que podem ser realizadas via internet devem ser incentivadas e continuadas. Desta forma, garantimos o mantimento destes profissionais no mercado.

Os instrutores de academia e domésticos também estão sendo afetados. Para isto, modelos de negócio como aulas online para manter as atividades físicas dentro de casa podem ser pontuadas. Desta forma, garante uma renda mensal para eles.

No caso de quem trabalha na casa de outras pessoas, é importante destacar que os empregadores podem se responsabilizar por não demitir os seus funcionários. Desta forma, garante a renda mensal da família em um momento tão delicado.

Prorrogação de dívidas

Os bancos visualizando as questões atuais estão realizando e criando ações para apoiar este público, entre elas a prorrogação das dívidas de autônomos e pequenos empreendedores. Além disto, ainda há a suspensão de pagamentos como MEI.

Ainda estão sendo criadas linhas especiais para oferecer serviços exclusivos e redução na taxa de juros. Ofertas de crédito especial também estão sendo detalhadas por grandes instituições financeiras.

Desta forma, não só o cidadão comum, mas também empresas, em especial as bancárias, podem entrar na corrente de manter estes profissionais conseguindo manter suas expectativas e o negócio continuar atuando logo depois da crise.

Suas habilidades podem ajudar

Há diversos meios para apoiar o comércio local, caso você tenha facilidade em gerenciar aplicativos de entregas e redes sociais pode oferecer ajuda neste momento à estes profissionais, o que pode se tornar um ótimo trabalho voluntário.

Muitos pequenos empreendedores não têm domínio das ferramentas digitais, principal meio para o compartilhamento de informações e atração de novos clientes neste momento. Então, os que trabalham nesta área podem ajudar oferecendo consultoria ou até mesmo novas ações.

Criar peças para publicação em redes sociais para que o conteúdo possa viralizar pode se tornar uma alternativa interessante para este momento em que diversas pessoas estão concentradas nas suas casas e utilizando as redes sociais para se comunicar e atualizar informações básicas.

Empresas unidas

Não só o cidadão comum pode auxiliar, mas empresas do setor de tecnologia e de outras áreas podem contribuir neste momento. Oferecendo consultorias para atuação no ambiente digital, principalmente com as plataformas de e-commerce.

Além de criar bons espaços para garantir o acesso de todos às plataformas de entregas. Ainda pontuando incentivos de crédito e/ou patrocínio para ações locais e profissionais que tem sua atuação desestabilizada por causa da crise.

Empresas também podem reduzir os custos de contratos suspensos e renegociações pontuais para casos em que envolvam diversas multas. E utilizar de sua verba para estimular doações para grupos sociais mais necessitados.