Economia brasileira ganha pacote de investimentos para conter crise

Os efeitos do coronavírus atingem a população de uma forma nunca vista. Por consequência, a economia brasileira também é fortemente afetada. Para amenizar os impactos, Paulo Guedes, ministro da Economia anunciou uma série de medidas emergenciais.

Economia brasileira ganha pacote de investimentos para conter crise
Economia brasileira ganha pacote de investimentos para conter crise (Foto: Google)

O objetivo do ministro é injetar um montante de até R$147,3 bilhões na economia na tentativa de conter os efeitos negativos que o coronavirus anda causando.

Entre as medidas anunciadas estão a liberação de saques do FGTS e também a antecipação do 13° do INSS. A suspensão por três meses para pagamentos de determinados impostos também foi anunciada.

Leia Mais: Após coronavírus, Governo faz mudanças drásticas no Simples Nacional

A população mais vulnerável não será desamparada e contará com R$83,4 bilhões. Para que sejam mantidos os empregos serão investidos R$39,4 bilhões.

Guedes também falou sobre a liberação de mais recursos destinados ao combate da pandemia causada pelo coronavirus.

Preparamos uma lista com todas as novas medidas e também as que já foram divulgadas:

Para a população mais vulnerável (R$ 83,4 bilhões)

Novas medidas:

  • Antecipação da segunda parcela do 13º de aposentados e pensionistas do INSS para maio – liberação de mais R$ 23 bilhões;
  • Transferência de valores não sacados do PIS/Pasep para o FGTS, para permitir novos saques – impacto de até R$ 21,5 bilhões;
  • Antecipação do abono salarial para junho – liberação de R$ 12,8 bilhões;
  • Reforço ao programa Bolsa Família, com a inclusão de mais 1 milhão de beneficiários – impacto de até R$ 3,1 bilhões.

Medidas já anunciadas:

  • Antecipar a primeira parcela do 13º de aposentados e pensionistas do INSS para abril – liberação de R$ 23 bilhões;
  • Reduzir o teto de juros do empréstimo consignado para aposentados e pensionistas, aumento da margem e do prazo de pagamento.

Manutenção de empregos (R$ 59,4 bilhões)

Novas medidas:

  • Diferimento do prazo de pagamento do FGTS por 3 meses – impacto de R$30 bilhões;
  • Diferimento da parte da União no Simples Nacional por 3 meses – estimativa de R$ 22,2 bilhões;
  • Crédito do PROGER / FAT para Micro e Pequenas Empresas – projeção de R$ 5 bilhões;
  • Redução de 50% nas contribuições do Sistema S por 3 meses – impacto de R$2,2 bilhões;
  • Simplificação das exigências para contratação de crédito e dispensa de documentação (CND) para renegociação de crédito;
  • Facilitar o desembaraço de insumos e matérias-primas industriais importadas antes do desembarque.

Combate à pandemia

Novas medidas:

  • Destinação do saldo do fundo do DPVAT para o SUS – impacto de R$ 4,5 bilhões;
  • Zerar alíquotas de importação para produtos de uso médico-hospitalar (até o final do ano);
  • Desoneração temporária de IPI para bens importados listados que sejam necessários ao combate ao Covid-19;
  • Desoneração temporária de IPI para bens produzidos internamente listados que sejam necessários ao combate ao Covid-19.

Leia Mais: O coronavírus e seu bolso: Uma nova crise econômica no Brasil está próxima?

Medidas já anunciadas:

  • Suspender a prova de vida dos beneficiários do INSS por 120 dias;
  • Dar preferência tarifária de produtos de uso médico-hospitalar;
  • Priorizar desembaraço aduaneiro de produtos de uso médico-hospitalar.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira, formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo, atua como do redator do portal FDR produzindo matérias sobre economia em geral e também como repórter do site Aparato do Entretenimento cobrindo o mundo da TV e das artes.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA