Microempreendedor tem garantido R$320 milhões no Rio de Janeiro

Wilson Witzel, governador do Rio de Janeiro, anunciou que o estado tem R$320 milhões em recursos iniciais para uma linha de crédito dedicada ao MEI (Microempreendedor Individual), e também para micro e pequenas empresas.

Microempreendedor tem garantido R$320 milhões no Rio de Janeiro
Microempreendedor tem garantido R$320 milhões no Rio de Janeiro (Imagem: Fernando Frazão/Agência Brasil)
publicidade

O objetivo desta nova linha de crédito é liberar recursos para que as empresas e os autônomos do Rio, consigam enfrentar a crise causada pela recente pandemia do coronavírus, tendo condições de financiar o capital giro necessário.

É esperado que isto também possa vir a evitar um aumento do desemprego, prejuízos na economia e claro, a contaminação das pessoas.

Leia Mais: Coronavírus: como a crise internacional afeta o seu emprego?

A linha de crédito será formada por recursos do próprio governo e também por fundos estaduais e federais, como Finep (Financiadora de Estudos e Projetos), Fungetur (Fundo Geral de Turismo) e Fempo (Fundo Estadual de Fomento ao Microcrédito Produtivo Orientado para Empreendedores).

O oferecimento virá em parceria com o Sebrae, cooperativas de crédito, fintechs e entidades da classe que as contratações serão determinadas.

Ainda não foi divulgado pelo governo quais serão os prazos e as taxas de juros aplicadas aos financiamentos, porém os prazos e as carências serão estendidos e as taxas de juros serão mais baixas, bem menores das que são aplicadas pelos bancos tradicionais.

Lucas Tristão, secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Energia e Relações Internacionais, ressaltou o impacto das medidas que estão sendo pensadas e colocadas em prática pelo governo estatual com o intuito de atenuar os graves efeitos sociais e econômicos que a pandemia do coronavírus está causando.

“O governador Wilson Witzel está tomando uma série de decisões firmes, mas muito prudentes e necessárias, de enfrentamento da situação, para evitar o agravamento da crise, mas sem nunca esquecer de apoiar a sustentabilidade da economia e dos negócios do Estado”. Afirmou Lucas.

Leia Mais: Crédito habitacional com recursos do FGTS será reduzido pelo governo

Lucas reafirmou que não é um momento de descanso e que é necessária união de todos. E para que todos façam a sua parte, quem saí perdendo financeiramente é o microempreendedor.

Profissionais autônomos, por exemplo: personal trainer, professor de línguas, fotógrafo, doceira, manicure, barceiro e etc. Terão que paralisar os seus serviços a pedido do Ministério da Saúde, a fim de evitar contato direto entre as pessoas que pode aumentar a contaminação.

Foi pensando nisso que surgiu a iniciativa de oferecer os créditos ao microempreendedor. O governo federal também tem tomado atitudes, como o anuncio do pagamento adiantado do seguro desemprego e a distribuição de voucher aos profissionais liberais.

Paulo AmorimPaulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira, formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo, atua como do redator do portal FDR produzindo matérias sobre economia em geral e também como repórter do site Aparato do Entretenimento cobrindo o mundo da TV e das artes.