Crédito habitacional com recursos do FGTS será reduzido pelo governo

Diante da crise econômica que deverá abalar todos os setores da indústria, o governo federal vem anunciando uma série de medidas que tenham como objetivo amenizar o impacto ocasionado pela pandemia do coronavirus. Para o mercado da construção civil, o Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) informou que serão reduzidos os juros do crédito habitacional financiados pelos recursos do FGTS.

Crédito habitacional com recursos do FGTS será reduzido pelo governo (Imagem: Reprodução - Google)
Crédito habitacional com recursos do FGTS será reduzido pelo governo (Imagem: Reprodução – Google)

A proposta tem como finalidade aumentar o número de unidades financiadas pelo Minha Casa, Minha Vida, de modo que garanta o funcionamento do programa e também uma rotatividade econômica na área da construção. De acordo com o governo, está se estruturando um plano de ação para que sejam injetados R$ 147,3 bilhões na economia pelos próximos três meses.

Leia também: Renda fixa despenca 9% em negativa do mercado

Apesar do anuncio, o texto da medida ainda não está pronto. No entanto, o MDR deverá lança-lo em breve. Por enquanto, o que se sabe é que as taxas de juros que atualmente variam entre 5% ao ano e 8,16%, serão reduzidas em pelo menos 0,5 ponto percentual.

Além disso, a ação também fará com o valor do financiamento passe a se enquadrar no orçamento das famílias interessadas. O valor das construções deverão ficar entre R$ 29 mil e R$ 47,5 mil, a depender da faixa de renda do cadastrado.

Custos do crédito habitacional administrado pelo FGTS

Já no que diz respeito as despesas que os cofres públicos terão com o FGTS, foram reservados R$ 9 bilhões para poder custear a proposta. Entretanto, a União poderá entrar com mais 10% dessa quantia, a depender dos desdobramentos da crise e de seu impacto nos cofres públicos.

Leia também: Crise do coronavírus: salários e jornadas cortadas salvam empregos

É válido ressaltar que, a maioria dos financiamentos do MCMV são custeados com os valores do FGTS, uma vez em que os beneficiários usam o auxílio para realizarem o sonho da casa própria. Os pagamentos variam de acordo com as faixas de renda do programa, sendo elas:

  • Faixa 1 – para pessoas com renda de R$ 1.800, sendo o imóvel basicamente todo financiado pela União;
  • Faixa 1,5 – para famílias com renda de até R$ 2.600, com direito a um subsídio de R$ 47,5 mil;
  • Faixa 2 – brasileiros com renda de até R$ 4 mil e subsídio de R$ 29 mil;
  • Faixa 3 – renda de R$ 7 mil, sem concessão de subsídio.

Segundo os gestores, as novas regras de operação e liberação de verba deverão ser anunciadas ainda nos próximos dias.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR, onde já acumula anos de experiência e pesquisas sobre economia popular e direitos sociais.