IRPF 2020: rescisão de 2019 precisa ser incluída na sua declaração

Aqueles que perderam o emprego no ano passado devem ficar atentos no momento de declarar no IRPF 2020 o valor recebido na rescisão. É preciso ficar atento aos salários recebidos ao longo do ano passado e as verbas indenizatórias que devem ser declaradas separadamente.

publicidade
IRPF 2020: rescisão de 2019 precisa ser incluída na sua declaração
IRPF 2020: rescisão de 2019 precisa ser incluída na sua declaração (Imagem:Montagem/FDR)

Em entrevista ao Jornal O Globo, o professor de Direito da Fundação Getúlio Vargas (FGV), Gustavo Fossati, comentou sobre que o motivo de o contribuinte cair na malha fina da Receita ocorre normalmente pela divergência entre os valores declarados pela empresa e aqueles informados na declaração.

“Se a empresa declara, e o trabalhador não, a omissão é logo identificada no cruzamento de dados, e o contribuinte pode cair na malha fina.”, disse. 

publicidade

Leia também: Restituição do IR será paga nesta segunda-feira (16)

O contribuinte é orientado a reunir todos os informes de rendimentos das empresas nas quais tenha trabalhado no ano passado para verificar os valores que devem ser informados.

A multa de 40% do FGTS, as férias não tiradas, incentivos de Plano de Demissão Voluntária (PDV) e o aviso-prévio, as verbas indenizatórias, tudo deve ser declarado no IRPF 2020 como “Rendimentos Isentos e Não Tributáveis”. 

Já o décimo terceiro, proporcional de férias, horas extras e adicional noturno, assim como os valores relacionados ao salário devem ser inseridos na parte de “Rendimentos Tributáveis Recebidos de Pessoa Jurídica”, sendo que o décimo-terceiro deve entrar em “Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva/Definitiva”.

A sócia fundadora da Utumi Advogados, Ana Cláudia Utumi, comentou sobre o aviso prévio “Se o aviso prévio foi trabalhado, é considerado um salário normal, e, portanto, é tributável. Mas, se foi pago, é considerado indenização e não é tributável”, disse.

O dinheiro do seguro-desemprego junto com o do saque do FGTS também devem ser declarados. Nesse caso, o contribuinte vai informar que a fonte pagadora é o Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT) e Caixa Econômica Federal.

publicidade

Aqueles que foram dispensados de empresas que fecharam ou faliram devem declarar apenas quando receberem os valores devidos. Quem foi demitido em outro momento, mas só recebeu o valor em 2019, deve declarar. O gerente sênior da Mazars, Bernardo Sermenho, explicou sobre como declarar os ganhos com decisões judiciais no IRPF 2020.

Leia também: Tributos sobre conta de luz serão anulados ao consumidor

“Ganhos com decisões judiciais são sempre isentos. Mesmo que a origem das verbas não seja indenizatória, por envolver juízo, elas passam a ser. Por isso, devem ser declaradas” afirmou.

publicidade

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Jheniffer Freitas
Jheniffer Aparecida Corrêa Freitas é formada em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e da Secretarial Estadual da Saúde de São Paulo. Há dois anos é redatora do portal FDR, onde acumula bastante experiência em produção de notícias sobre economia popular e finanças.