Lucro do FGTS 2020 trará distribuição menor aos trabalhadores

Não foi desta vez que a distribuição de lucro do FGTS e da rentabilidade das contas aumentaram. O presidente Jair Bolsonaro vetou o dispositivo que tratava do assunto. O veto faz com que a regra criada no governo passado continue sendo válida. Ela prevê a distribuição de “parte” do lucro com os cotistas, que consiste em 50% do resultado.

Lucro do FGTS 2020 será distribuído aos trabalhadores; saiba como
Lucro do FGTS 2020 trará distribuição menor aos trabalhadores (Imagem: Reprodução / Google)

Referente ao ano de 2019 100% dos resultados já foram recebidos pelos cotistas, o que totalizou R$12,2 bilhões. Todos os anos o crédito é feito até o final de agosto.

O Ministério da Economia na época em que foi anunciado o resultado, divulgou uma nota em que o presidente do Conselho Curador do fundo de garantia dizia que a distribuição de 100% do lucro do FGTS ao trabalhador “amplia os ganhos do cotista, tornando a rentabilidade do FGTS melhor que a maioria dos investimentos”.

Leia Mais: Veja se tem direito ao saque imediato do FGTS que finaliza este mês

Os recursos que são depositados do FGTS conseguem uma remuneração de 3% mais a Taxa Referencial (TR). A distribuição de 100% do lucro de 2018, uma rentabilidade prevista das contas em 6,18%, foi um resultado muito mais satisfatório que o rendimento da Poupança.

O veto de Bolsonaro faz com que acabe a obrigação de continuar com a política de distribuição total do lucro com os trabalhadores.

O Ministério do Desenvolvimento Regional diz que a lei estava limitando os subsídios dados as famílias beneficiárias do Minha Casa, Minha Vida e aumentando o lucro do FGTS, que acabavam favorecendo as classes de maior poder aquisitivo, que possuem maior número de depósitos e saldos na conta do FGTS. O presidente Bolsonaro vetou também a limitação aos subsídios do Minha Casa Minha Vida.

Mesmo que o presidente Bolsonaro tenha aprovado o pedido do Ministério Do Desenvolvimento Regional, o Conselho curador não está impedindo que aconteça uma distribuição maior que 50% adotados nos últimos anos.

Como a lei fala em “parte” do lucro, entende-se que se pode repartir 1% a 99% do resultado, e isso depende da orientação da equipe econômica.

Leia Mais: Taxação do seguro desemprego deve ser definida nas próximas semanas

Lembrando que o Ministério da Economia tem a maioria no colegiado, ocupando três dos seis assentos do governo. O MDR, Ministério da Infraestrutura e Casa Civil por sua vez, têm um assento cada.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira, formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo, atua como do redator do portal FDR produzindo matérias sobre economia em geral e também como repórter do site Aparato do Entretenimento cobrindo o mundo da TV e das artes.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA