Cálculo do seguro desemprego deve mudar como nova regra em março

Modificações no cálculo do seguro-desemprego passarão a valer a partir de março. Desde a divulgação do programa Verde e Amarelo, o governo federal vem elaborando uma reforma na liberação do benefício destinado a classe trabalhadora. A partir de agora, o auxílio contará com o desconto mínimo de 7,5% para o INSS, de modo que contabilize como período de contribuição para a aposentadoria.

Cálculo do seguro desemprego deve mudar como nova regra em março (Imagem: Reprodução - Google)
Cálculo do seguro desemprego deve mudar como nova regra em março (Imagem: Reprodução – Google)

Atualmente, o valor máximo do pagamento é de R$ 1.813,03 e o mínimo de R$ 1.045, entretanto o pagamento final leva em consideração a quantia recebida nos últimos três meses antes da demissão. Com as novas regras, o desconto poderá chegar a ser de até 9%, diminuindo consideravelmente a quantia recebida.

Após a definição do salário mínimo, atualmente fixado em R$ 1.045, o benefício ganhou novo piso igual ao da federação.

Leia também: Parcelas do seguro desemprego são reajustadas a partir deste mês

Cálculo do seguro desemprego

O cálculo do seguro desemprego leva em consideração o valor recebido pelo trabalhador, multiplicado pela taxação de sua renda.

  • Quem recebe um salário de até 1.599,61: multiplica-se o salário médio por 0,8 (80%)
  • Quem recebe de R$ 1.599,62 até R$ 2.666,29: o que exceder R$ 1.599,61 será multiplicado por 0,5 (50%) e somado a R$ 1.279,69
  • Quem recebe acima de R$ 2.666,29: a parcela será de R$ 1.813,03

Exemplo: Uma trabalhadora com o salário de até 1.599,61, terá a média dos últimos três rendimentos multiplicados por 0,8 (80%) e essa será a quantia recebida. Sendo que se for menor que R$1.045,00, a funcionaria não deixaria de receber menos que o piso.

Já no caso do operário que recebe entre R$ 1.599,62 até R$ 2.666,29, será multiplicada a média por 0,5 (50%) e somado a R$ 1.279,69.

Confira abaixo a simulação com as alíquotas do INSS

Caso seja devidamente aprovado, a partir de março os trabalhadores deverão contar com outro cálculo do seguro desemprego. Agora, considerando os descontos que valem como contribuição ao INSS.

Média salarial de R$ 1.045

  • Valor do seguro-desemprego de R$ 1.045
  • Alíquota previdenciária de 7,5%: R$ 78,38
  • Total do benefício com o desconto: R$ 966,62

Média salarial de R$ 3.000

  • Valor do seguro-desemprego de R$ 1.813,03
  • Alíquota previdenciária de 7,5% sobre R$ 1.045: R$ 78,38
  • Alíquota previdenciária de 9% sobre R$ 768,03: R$ 69,12
  • Total do benefício com o desconto: R$ 1.665,53

É válido lembrar que o pagamento pode ser feito entre e a 5 parcelas e devem ser pagas posteriormente a demissão.

Leia também: Cresce o número de dívidas das famílias das classes baixas

Quem pode receber o seguro?

Tem direito ao benefício todo trabalhador que tenha exercido seu ofício de carteira assinada, por pelo menos 12 meses e seja demitido sem justa causa.

Além disso, brasileiros encontrados em situação similar ao trabalho escravo e pescadores fora do período de pesca podem ser contemplados.

Nesse caso, as medidas devem ser aplicadas para a primeira solicitação. Da segunda em diante o tempo de carência varia entre 9 e 6 meses.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA