Contribuição do INSS 2020 muda alterando também o seu salário

A partir de 1° de março começa a valer as novas faixas de cálculo e alíquotas de contribuição ao INSS (Instituto Nacional de Previdência Social). A nova tabela foi oficializada pelo governo federal no último dia 11 de fevereiro e fixada no Diário Oficial da União.

Contribuição do INSS 2020 muda alterando também o seu salário
Contribuição do INSS 2020 muda alterando também o seu salário (Imagem: Reprodução / Google)

Foram alteradas as primeiras faixas de cálculo, em função do novo reajuste do salário mínimo que subiu em fevereiro de R$ 1.039 para 1.045. A tabela também já engloba as novas regras inseridas pela reforma da Previdência.

Leia MaisINSS começa pagamento com maior valor da história

As novas faixas de cálculo da contribuição do INSS, farão com que todos os meses cada trabalhador pague, já com a correção, a seguinte alíquota:

  • 7,5% até um salário mínimo (R$ 1.045)
  • 9% para quem recebe entre R$ 1.045,01 R$ e 2.089,60
  • 12% para quem recebe entre R$ 2.089,61 e R$ 3.134,40
  • 14% para quem recebe entre R$ 3.134,41 e R$ 6.101,06

Antes da nova correção do salário mínimo, o teto da primeira faixa estava estipulado em R$ 1.039 e o piso da segunda, em R$ 1.039,01. As outras faixas não foram mudadas.

Importante recordar que com a reforma da previdência essas taxas passarão a ser progressivas, isto é, cobradas apenas sobre a parcela do salário que se enquadrar em cada faixa, fazendo com que o percentual de fato descontado do total dos ganhos (a alíquota efetiva) seja diferente.

Com as novas regras determinadas na reforma o valor descontado do salário de cada trabalhador para a aposentadoria vai ser alterado. Resumidamente, quem ganhar menos vai contribuir menos para o INSS, e quem ganha mais, vai contribuir mais.

Um trabalhador que ganha R$ 1.500 vai pagar 7,5% sobre R$ 1.045 (R$ 78,38), e mais 9% sobre os R$ 455 que excedem esse valor (R$ 40,95). Concluindo, no total, ele pagará R$ 119,33, o que corresponde a 7,96% do seu salário por exemplo.

Já no setor público, as alíquotas podem chegar a 22% dependendo do salário do trabalhador.

Para o portal G1, o tesoureiro do Instituto Brasileiro do Direito Previdenciário (IBDP) Emerson Lemes, fez um cálculo para exemplificar:

como ficará a contribuição para diferentes níveis salariais

A portaria também oficializou o piso de R$ 1.045 para os benefícios custeados pela Previdência Social. Por lei, aposentadorias, auxílio-doença, auxílio-reclusão e pensão por morte pagas pelo INSS não podem ser menores que 1 salário mínimo.

Os benefícios de aposentadoria maiores do que o salário mínimo tiveram correção pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que ficou em 4,48% em 2019.

Leia MaisIPVA SP 2020: pagamento com cota única termina hoje (21)!

Assim, o teto dos benefícios do INSS passou de R$ 5.839,45 para R$ 6.101,06 a partir de janeiro de 2020. Isso significa que ainda que o trabalhador receba um salário superior a esse valor, a contribuição só será calculada sobre R$ 6.101,06.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira, formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo, atua como do redator do portal FDR produzindo matérias sobre economia em geral e também como repórter do site Aparato do Entretenimento cobrindo o mundo da TV e das artes.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA