Comissão que votaria MP sobre o 13° do Bolsa Família é adiada mais uma vez

As indecisões sobre o futuro do Bolsa Família causam muita estranheza e incertezas frente as expectativas do governo federal. Entre os pontos, a votação da Comissão que alteraria a Medida Provisória (MP) para liberar o 13° do Bolsa Família foi adiada.

Comissão que votaria MP sobre o 13° do Bolsa Família é adiada mais uma vez (Reprodução/Internet)
Comissão que votaria MP sobre o 13° do Bolsa Família é adiada mais uma vez (Reprodução/Internet)

A reunião era para decidir neste caso a extensão do benefício do 13° salário para aqueles que recebem o Benefício da Prestação Continuada (BPC). O encontro estava marcado para acontecer na última terça-feira (18), mas foi reagendado para esta quarta-feira (19).

Leia Também: Ministério do Bolsa Família, CadÚnico e programas sociais ganha novo administrador

Logo após a votação dos pontos em Comissão Mista, a MP das mudanças, se aprovada, ainda precisa seguir para outros tramites dentro do legislativo, como a aprovação pelos plenários da Câmara e do Senado com data limite para 24 de março, caso contrário, perderá a validade.

Um dos pontos que provocaram o adiamento da votação foi a necessidade de conversar previamente com o novo ministro da Cidadania, responsável pelo programa, Onyx Lorenzoni.

Com as mudanças administrativas entre os responsáveis por cada pasta na última semana, a deputada da base aliada Bia Kicis afirmou que seria necessário o diálogo para buscar um entendimento com o governo.

A deputada ainda destacou durante a sessão que não foi possível chegar a um acordo entre as partes, no sentindo de entendimento sobre a real necessidade de mudanças no repasse do décimo terceiro.

“Para que a gente possa ter a sinalização de um acordo precisamos da autorização do ministro da pasta, que é o do Bolsa Família, e hoje está tento a troca do comando”, disse a deputada durante a sessão, argumentando o adiantamento.

Mas antes de sua fala, alguns beneficiários do BPC, cadeirantes e deficientes visuais começaram a sessão com o intuito de provocar o pressionamento frente aos parlamentares para que o relatório que autoriza o 13° para este grupo seja aprovado.

Mesmo com a mudança no dia, muitos disseram que retornarão para acompanhar o andamento da matéria.

Leia Também: Salário mínimo aumenta, mas não é suficiente para sustentar famílias

Em contrapartida, a equipe econômica do governo não se mostra muito favorável ao pagamento do 13° do Bolsa Família e do BPC, uma vez que o texto determina que a parcela extra tenha caráter permanente.

A justificativa seria que não há orçamento disponível no governo para realizar o repasse do dinheiro às famílias.

Membros da equipe econômica afirmam que a mudança no Bolsa Família e BPC realizada pelo relator não tem respaldo no Orçamento e, desta forma, pode ferir o teto dos gastos do Executivo.

Vale ressaltar que, durante a semana passada, relatório do senador Randolfe Rodrigues, no qual determina que o benefício seja permanente foi lido, mas sessão também foi adiada.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

REDAÇÃO
Cobertura e repercussão de assuntos que impactam o bolso de todos os brasileiros. A redação do FDR.com.br traz diariamente assuntos relevantes de uma forma descomplicada e confiável.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA