Seguro desemprego pago de forma irregular tem rombo impressionante

No ano de 2018, o governo federal pode ter pago de forma irregular cerca de R$149 milhões em seguro desemprego. Com o destino final do dinheiro sendo ameaçado por fraudes, os trabalhadores em geral também se prejudicam. 

Seguro desemprego pago de forma irregular impressiona e atinge milhares
Seguro desemprego pago de forma irregular impressiona e atinge milhares (Imagem: Montagem/FDR)

Essa constatação foi feita pela Controladoria-Geral da União (CGU), que cruzou dados de pagamento de benefício com os cadastros que já estão no banco do governo federal. 

Leia Também: Seguro desemprego ganha novas regras a partir de março; confira!

Isso fez com que fossem identificadas possíveis inconsistências e irregularidades. Os resultados se tornaram públicos nesta quarta-feira (12).

De acordo com a CGU, cerca de R$3,3 milhões foram pagos a 826 pessoas que já estavam sendo constatadas como mortas antes mesmo do requerimento do benefício. 

Mais R$36,8 milhões foram pagos a mais de 28 mil pessoas que já recebiam benefícios pagos pelo INSS, que por lei não podem ser acumulados com o seguro-desemprego.

Outros R$4 milhões foram destinados a pessoas com empresa empregadora que já estava fechada antes da data de requerimento do benefício.

Apesar disso, a maior parte dos pagamentos foi feita para pessoas demitidas por justa causa e que por isso não teriam acesso ao benefício. Foi pago R$105,2 milhões para 26,5 mil trabalhadores. 

Em relatório a CGU afirmou que “Os fatos descritos demonstram que existem fragilidades no processo de avaliação e de pagamento de Seguro Desemprego”.

De acordo com os auditores, é possível que uma parte destes pagamentos estejam relacionados às decisões judiciais não-registradas nos sistemas inspecionados.

O G1 questionou nesta quinta-feira (13) sobre as irregularidades que foram apontadas pela CGU.

Sobre isso, a Secretaria Especial de Previdência e Trabalho informou que o sistema de controle do seguro desemprego é rígido e criterioso em todas as etapas de análise do pedido. 

Leia Também: CNH gratuita e desburocratizada: Senadora faz proposta polemica sobre o assunto

E afirma que no processo de concessão do benefício faz o cruzamento de dados com outras bases do governo, justamente a fim de evitar erros. Mas, diz que tudo o que foi pontuado pela CGU será avaliado e incorporado ao processo que concede o seguro.

“Ressaltamos que o número apresentado pela CGU corresponde a 0,5% dos benefícios pagos em 2019, quando 6,2 milhões de trabalhadores foram beneficiados com o seguro-desemprego”, finaliza a nota divulgada.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Jheniffer Freitas
Jheniffer Aparecida Corrêa Freitas é formada em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e da Secretarial Estadual da Saúde de São Paulo. Atualmente, é redatora do portal FDR, produzindo pautas sobre economia popular e finanças.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA