Mudanças no Bolsa Família serão analisadas por comissão

Na terça-feira (17), a Câmara dos Deputados instalou uma comissão para realizar análise, discussão, aperfeiçoamento e aprovação das mudanças no Bolsa Família. Estas, propostas pelo governo federal. 

Mudanças no Bolsa Família serão analisadas por comissão
Mudanças no Bolsa Família serão analisadas por comissão

O governo de Jair Bolsonaro pretende realizar algumas mudanças no Bolsa Família, a fim de tornar o sistema um modelo de referência em sua gestão. Desligando dos governos passados. Para isso, criou alguns projetos que serão votados pela Câmara dos Deputados. 

O Projeto de Lei (PL) 6072/19 e da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 200/19, tem como o objetivo realizar mudanças no Bolsa Família. Uma delas é tornar o benefício uma política do Estado e não mais do governo federal.

Leia também: Sem Renda Brasil e fim do Bolsa Família; como vai chamar novo programa?

Isso significa, garantir que o benefício tenha continuidade e seja pago a todos os cadastrados independente da atual administração do país.

Essa comissão compõe também o pacote de proposições da Agenda para o Desenvolvimento Social da Câmara.

Os deputados federais Tabata Amaral (PDT-SP), Felipe Rigoni (PSB-ES), João Campos (Republicanos-GO), Pedro Cunha Lima (PSDB-PB), Raul Henry (MDB-PE) e o senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE), elaboraram nos últimos meses, um pacote de medidas na área de assistência. Isso tudo foi feito com o apoio de outros especialistas em cinco setores diferentes.

A inserção dessa comissão é visto com urgência, pois os avanços na economia não diminuíram a desigualdade social no país. Consequentemente, muitos brasileiros ainda estão em situação de extrema pobreza. 

Em entrevista ao jornal Diário de Pernambuco, a deputada Tabata Amaral (PDT-SP) disse que essa é uma vitória para a Câmara, já que a maioria dos deputados líderes de partido assinaram como coautores das propostas apresentadas.

O principal foco das medidas são os primeiros cinco anos de vida das crianças que vivem em situação de extrema pobreza. Essa ação fará com que o governo tenha que desembolsar R$ 9,8 bilhões por ano.

O Bolsa Família foi criado no ano de 2003, após o ex-presidente Lula propor a união de diversas bolsas que seriam oferecidas pelo governo. 

Desde o seu início, o tem como objetivo realizar a transferência de renda para as famílias que estejam em situação de pobreza e de extrema pobreza por todo o país. São atendidos aqueles com renda mensal entre R$89 e R$178 por pessoa. 

Jheniffer FreitasJheniffer Freitas
Jheniffer Aparecida Corrêa Freitas é formada em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e da Secretarial Estadual da Saúde de São Paulo. Atualmente, é redatora do portal FDR, produzindo pautas sobre economia popular e finanças.