Minha casa minha vida rural 2025

Poucas pessoas sabem, mas é possível conseguir o financiamento popular de um imóvel localizado em zona rural. A modalidade que libera essa possibilidade dentro do programa do governo é o Minha Casa Minha Vida Rural 2025.

minha casa minha vida rural 2025
Minha casa minha vida rural 2025 (Foto: Jeane de Oliveira/FDR)

O Minha Casa Minha Vida é o programa de moradia popular do governo federal, criado em 2009. Após ter sido substituído pelo Casa Verde e Amarela durante o governo de Jair Bolsonaro (PL), o programa voltou a funcionar em 2023. 

Além de ter sido reativado no terceiro mandato do governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT), o programa também foi turbinado com novidades. Entre as suas modalidades de atuação está o Minha Casa Minha Vida Rural 2025.

Para bancar o programa são usados recursos da União, ou seja, do governo federal. E ainda, investimento vindo do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço), onde as opções de compra ou melhoria do imóvel são facilitadas.  

Como funciona o Minha Casa Minha Vida rural? 

Na realidade, o Minha Casa Minha Vida Rural 2025 subsidia a produção ou a melhoria de unidades habitacionais para agricultores familiares, trabalhadores rurais e famílias residentes em área rural. 

São duas áreas de atuação desta modalidade: subsidiado e financiado. Sendo que o financiado encontra-se em elaboração.

Na opção subsidiado, destinado as famílias com menor renda, o valor é liberado em duas situações:

  • produção habitacional: quando a família vivem em área irregular ou em domicílio improvisado ou rústico;
  • melhoria habitacional: destinado a família residente em domicílio considerado inadequado sob, pelo menos, um dos seguintes aspectos: adensamento excessivo de moradores, cobertura ou piso inadequado, ausência de unidade sanitária domiciliar exclusiva e alto grau de deterioração.

Quem tem direito ao Minha Casa Minha Vida rural? 

Para ter direito ao Minha Casa Minha Vida rural 2025 é necessário atender, principalmente, aos critérios de renda que são impostos pelo governo. 

Isso porque, para ser beneficiária do Minha Casa Minha Vida dentro desta modalidade a família rural deve auferir renda bruta familiar anual de até R$ 96.000,00. Os grupos são divididos nas seguintes faixas:

  • Faixa Rural 1 – renda bruta familiar anual até R$ 31.680,00 (trinta e um mil seiscentos e oitenta reais);
  • Faixa Rural 2 – renda bruta familiar anual de R$ 31.680,01 (trinta e um mil seiscentos e oitenta reais e um centavo) até R$ 52.800,00 (cinquenta e dois mil e oitocentos reais); e
  • Faixa Rural 3 – renda bruta familiar anual de R$ 52.800,01 (cinquenta e dois mil e oitocentos reais e um centavo) até R$ 96.000,00 (noventa e seis mil reais).

No caso das faixas 2 e 3, onde a renda é maior, será preciso contratar um financiamento habitacional com recursos do FGTS. O valor do financiamento deve ser devolvido integralmente.

Enquanto isso, a família beneficiária da faixa 1 acessa a subvenção do OGU, devolvendo como participação financeira 1% do valor da produção ou do valor da reforma, no ato da contratação, sob forma de caução. 

Quem está na faixa 1 e recebe o BPC (Benefício de Prestação Continuada) ou o Bolsa Família, ficarão isentos da devolução do financiamento. Ou seja, não precisarão pagar nada por isso.  

Outros critérios para aprovação

O banco que vai analisar o crédito também fará as seguintes considerações sobre o solicitante:

  • Não possuir imóvel com padrão mínimo de habitabilidade;
  • Não possuir financiamento habitacional;
  • Não possuir débito junto ao CADIN;
  • Não possuir imóvel com área maior que 4 módulos fiscais;
  • Não ter recebido nos últimos 10 anos benefício similar.

Como fazer inscrição no Minha Casa Minha Vida Rural 2025?

A inscrição no Minha Casa Minha Vida Rural 2025 é feita por meio de um intermediador entre o solicitante e o banco, na maioria dos casos. 

  • Procure a prefeitura do município ou uma entidade organizadora (associação, sindicato, cooperativa) que opere o programa;
  • Faça seu cadastro e participe das reuniões e atividades voltados ao público alvo;
  • Quando houver abertura dos processos seletivos as prefeituras e as entidades vão apresentar propostas de habitação rural acompanhadas da lista com nome e CPF das famílias interessadas;
  • Se a proposta do grupo for selecionada as famílias deverão apresentar a documentação solicitada pelo agente financeiro Caixa Econômica Federal para a análise de enquadramento;
  • O último passo é a assinatura dos contratos pelas famílias aprovadas.

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Entre na comunidade do FDR e receba informações gratuitas no seu Whatsapp!

Lila CunhaLila Cunha
Autora é jornalista e atua na profissão desde 2013. Apaixonada pela área de comunicação e do universo audiovisual. Suas redes sociais são: @liilacunhaa, e-mail: lilacunha.fdr@gmail.com