Novidades do Minha Casa, Minha Vida animam famílias na fila por uma casa nova

O governo federal tem demonstrado interesse em modernizar as construções pelo Minha Casa, Minha Vida. A ideia é acelerar as obras para que em um espaço mais curto de tempo seja possível atender um número maior de famílias que sonham com a casa própria

minha casa minha vida
Novidades do Minha Casa, Minha Vida animam famílias na fila por uma casa nova
(Foto: Jeane de Oliveira/FDR)

De acordo com o blog de Lauro Jardim, no O Globo, o governo federal tem estudado aplicar as mesmas estratégias para construção de casas no Rio Grande do Sul para atender todo país. É que no estado o Minha Casa, Minha Vida deve entregar os imóveis em um espaço menor de tempo. 

Aceleração de obras no Minha Casa, Minha Vida

O estado do Rio Grande do Sul vive a maior crise da sua história. Mesmo um mês após o alagamento de mais de 400 cidades, ainda há pessoas desabrigadas.

Algumas famílias não têm para onde voltar porque perderam todos os móveis da sua casa, além da estrutura do imóvel que ficou comprometida. 

Diante disso, os planos do governo para atender o público dessa região por meio do Minha Casa, Minha Vida precisam ser colocados em prática mais rápido. Entre os estudos feitos, há perpesctiva de que os moradores do restante do país também possam ser atendidos por:

  • Casas pré-montadas;
  • Imóveis usados. 

Atuação do Minha Casa, Minha Vida no Rio Grande do Sul

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), em pessoa, prometeu que daria casas novas aos moradores do Rio Grande do Sul que foram atingidos pelas fortes chuvas. Eu contei mais sobre a sua visita de Lula ao estado nesta matéria

O próprio governo federal anunciou que vai usar o Minha Casa, Minha Vida para liberar esse imóveis, por meio de ações como:

  • compra assistida de imóveis usados (a família indica uma casa já existente ao governo, a União compra a casa e entrega à familia);
  • chamada pública de imóveis (o governo recebe propostas de proprietários interessados em vender imóveis);
  • estoque de casas para leilão (imóveis que foram tomados pelo governo, em razão de financiamentos não pagos, serão retirados de leilão, quitados e ofertados às famílias);
  • aquisição de imóveis de construtoras (domicílios que empreiteiras vinham construindo, por conta própria, para oferecer ao mercado – o governo fará a compra antecipada e entregará às famílias);
  • habilitação de novos projetos do Minha Casa, Minha Vida (projetos que tinham sido apresentados, mas não foram selecionados na cota do programa).

Entre na comunidade do FDR e receba informações gratuitas no seu Whatsapp!

Lila CunhaLila Cunha
Autora é jornalista e atua na profissão desde 2013. Apaixonada pela área de comunicação e do universo audiovisual. Suas redes sociais são: @liilacunhaa, e-mail: lilacunha.fdr@gmail.com