Tem contas atrasadas? Programa Desenrola dá desconto de até 90% para dar ADEUS às dívidas

O Governo Federal deu início a uma nova etapa do programa Desenrola, agora dando atenção aos Pequenos Negócios. Assim, a iniciativa é voltada para a renegociação de dívidas, beneficiando Microempreendedores Individuais (MEIs) e micro e pequenas empresas com faturamento de até R$ 4,8 milhões e que possuem dívidas bancárias a serem renegociadas.

Tem contas atrasadas? Programa Desenrola dá desconto de
até 90% para dar ADEUS às dívidas. (Imagem:  Jeane de Oliveira/ FDR)

O Desenrola Pequenas Empresas teve início no último dia 13 e não existe um prazo para encerramento. Poderão aderir a renegociação de dívidas as empresas e MEIs que possuem contas não pagas até 23 de janeiro de 2024, sem limite para o valor da dívida nem prazo máximo de atraso.

A especialista Lila Cunha, colaboradora do FDR, comenta sobre o programa Desenrola, confira.

Como aderir ao Desenrola Pequenas Empresas?

Para aderir ao programa, o empreendedor precisa entrar em contato com a instituição financeira com a qual possui dívida através dos canais oficiais de atendimento — como agência, internet ou aplicativo do banco — para acessar as condições especiais de renegociação dos débitos.

As taxas de juros cobradas sobre a dívida e o número de parcelas a serem pagas devem ser acordadas diretamente entre o empreendedor e o banco. De acordo com o ministro Márcio França, as condições de desconto das instituições financeiras serão entre 40% e 90%.

O Desenrola Pequenos Negócios faz parte do segundo pilar do programa Acredita Brasil, uma iniciativa do Governo Federal para expandir o acesso de empreendedores ao crédito. Além da renegociação de dívidas, o programa também inclui uma linha de crédito direcionada às microempresas chamada ProCred 360, que é uma espécie de atualização do Pronampe.

Acredita Brasil

O programa Acredita irá funcionar por quatro pilares distintos. O primeiro, intitulado “Acredita no Primeiro Passo”, consiste em um esquema de microcrédito destinado aos inscritos no CadÚnico. O terceiro pilar, nomeado como “Acredita no Crédito Imobiliário”, estabelecerá um mercado secundário para transações de crédito imobiliário. Por fim, o quarto pilar, denominado “Acredita no Brasil Sustentável”, irá criar um programa de proteção cambial voltado para investimentos ambientalmente responsáveis, com o intuito de atrair recursos internacionais para projetos sustentáveis no Brasil, através do Eco Invest Brasil.

Yasmin NascimentoYasmin Nascimento
Jornalista formada pela Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP) com MBA em Digital Strategy, também pela Unicap. Com experiência em redação e redes sociais.
Sair da versão mobile