Governo lança Programa Acredita com empréstimos de até R$ 80 mil para MEIs

Por meio do programa Acredita, recentemente lançado pelo governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT), o MEI (Micro Empreendedor Individual) poderá solicitar crédito para investir no seu negócio. O programa foi criado pensando nas empresas, e além do empréstimo os empreendedores terão outras facilidades

MEI
Governo lança Programa Acredita com empréstimos de até R$ 80 mil para MEIs
(Foto: FDR)

Hoje, o MEI que deseja a liberação de crédito tem mais dificuldade para conseguir um bom limite. Isso porque, o seu faturamento deve ser de no máximo R$ 81 mil por ano ou de R$ 6,7 mil por mês. Logo, os bancos não veem tanto potencial para esse grupo e limitam o valor que pode ser emprestado.

A ideia do governo federal por meio do programa Acredita é dar aos bancos a garantia de que ao emprestarem dinheiro para os pequenos empreedimentos, terão o pagamento das parcelas. É como se o governo disesse as instituições “se ele não pagar, eu pago”. E assim, o crédito é facilitado. 

Para conseguir o crédito, os empreendedores terão que aderir à garantia promovida pelo Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). A expectativa é de que em três anos R$ 30 bilhões sejam viabilizados para dar suporte aos micro empreendimentos.

É importante entender que não é o Sebrae que vai oferecer crédito ao MEI, mas a instituição vai atuar como avalista de até 80% da garantia do valor total do empréstimo. Para isso, será usado o Fundo de Aval para Micro e Pequenas Empresas (Fampe) que já é um sistema que faz parte do Sebrae. 

Benefícios do programa Acredita para o MEI

O programa Acredita possuí quatro eixos de atuação, e entre eles o eixo Acredita no seu Negócio. São dois projetos dentro deste eixo: o ProCred 360 que oferecerá crédito aos empreendedores, e o Desenrola Pequenos Negócios para acordos de dívidas atrasadas. 

ProCred 360

  • Serão beneficiados aqueles que não conseguem crédito pelo Pronampe (Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte);
  • O pagamento será feito em até 60 vezes. O FGO (Fundo Garantidor de Operações) garantirá R$ 4 bilhões;
  • Taxa de juros igual a Selic + 5% ao ano;
  • As empresas lideradas por mulheres podem pegar empréstimos com valores equivalentes a 50% do faturamento do negócio no ano anterior. O limite de crédito das demais empresas é de até 30% do faturamento do ano anterior;
  • O pedido será feito diretamente com os bancos. 

Desenrola Pequenos Negócios

  • O programa vai valer até 31 de dezembro deste ano;
  • Descontos vão de 40% a 90% do valor da dívida original;
  • Valerão para débitos pendentes em bancos, financeiras, cooperativas e outros;
  • O pedido deve acontecer diretamente com os bancos.

Os dois programas ainda não começaram, a expectativa é de que tenham início em no máximo 60 dias. Entenda mais sobre os outros eixos do Acredita acessando esta matéria.  

Como MEI pode pedir crédito com garantia do Sebrae?

Por hora, apenas o empréstimo para MEI usando o Fampe do Sebrae é que já está disponível. Existe um procedimento para chegar ao crédito no final, sendo que o início passa pela página Crédito Consciente.

Ao responder a algumas perguntas, e passar por uma espécie de simulação, o sistema é que vai indicar se aquele MEI precisa do crédito. A partir disso outros dados serão preenchidos para chegar até o banco com uma proposta consistente. 

  1. Acesse a página do Crédito Consciente e preencha os dados necessários;
  2. Se a calculadora indicar que o empreendimento necessita de crédito, serão liberadas as opções de empréstimo para aquele perfil;
  3. Por meio do Fundo de Aval para Micro e Pequenas Empresas (Fampe), o Sebrae entra como avalista de até 80% de garantia do valor total do empréstimo;
  4. Volte para a calculadora e preencha outras informações, inclusive o uso do Fampe;
  5. Procure a instituição financeira desejada para dar andamento ao pedido de crédito.

Empréstimo MEI para quem recebe o Bolsa Família

Quem recebe o Bolsa Família também poderá pedir o empréstimo para MEI. Para isso, precisará abrir o seu micro negócio e regularizar a atividade que presta como autônomo.

A partir disso, basta ir em busca do crédito no banco desejado. Os inscritos não correm o risco de perder o acesso ao seu benefício social. 

 

 

Entre na comunidade do FDR e receba informações gratuitas no seu Whatsapp!

Lila Cunha
Autora é jornalista e atua na profissão desde 2013. Apaixonada pela área de comunicação e do universo audiovisual. Suas redes sociais são: @liilacunhaa, e-mail: lilacunha.fdr@gmail.com