Salário mínimo sobe em SP: trabalhadores de 70 categorias terão aumento

O governo do estado de São Paulo já definiu qual valor para o novo salário mínimo em São Paulo. A quantia está 5,8% acima do que foi definido para o piso no ano passado, e traz valorização para pelo menos 70 categorias de trabalhadores paulistas que não possuem um piso previsto por lei. 

salário mínimo
Salário mínimo sobe em SP: trabalhadores de 70 categorias terão aumento
(Foto: FDR)

O salário mínimo de São Paulo já foi definido pelo governador Tarcísio de Freitas (Republicanos), mas ainda precisa passar pela aprovação da Assembleia Legislativa. Todo estado que escolhe determinar o piso salarial da sua região precisa alcançar um valor superior oa salário mínimo do país. 

Novo salário mínimo em São Paulo 

Hoje, o salário mínimo em São Paulo é de R$ 1.550, o valor foi proposto e aprovado em junho de 2023. Isso significa que o piso já vai completar um ano e que por isso está em tempo de ser alterado. 

  • Novo valor do salário mínimo: R$ 1.640,00;
  • 5,8% mais alto que o valor estabelecido desde junho de 2023;
  • Com reajuste maior que a inflação oficial acumulada dos últimos 12 meses, que ficou em 3,93% segundo o IBGE.

No ano passo a Alesp (Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo) aprovou uma lei que unifica o mesmo salário mínimo para todas as 70 categorias profissionais que o utilizam. Antes desta decisão haviam dois pisos diferentes com grupos profissionais distintos. 

Quais trabalhadores usam o salário mínimo do estado?

O salário mínimo do estado não anula o salário federal, na verdade ele é válido apenas para categorias profissionais em que o sindicato ou a legislação nacional não propuseram um piso salarial. Ou seja, ele passa a funcionar como uma referência para remuneração de determinas profissões. 

  • Trabalhadores domésticos, serventes, de serviços de limpeza, manutenção e correlatos;
  • Cuidadores de idosos;
  • Trabalhadores e operadores de máquinas agrícolas, agropecuários e florestais, pescadores;
  • Auxiliares de serviços gerais;
  • Motoboys;
  • Carteiros;
  • Manicures, cabeleireiros e pedicures;
  • Dedetizadores;
  • Vendedores;
  • Pedreiros, pintores, encanadores, soldadores, vidraceiros e ceramistas;
  • Garçons;
  • Telefonistas e operadores de telemarketing.

O governo federal já propôs alterações para o salário mínimo do país para 2025, confira nesta matéria escrita por mim.

Entre na comunidade do FDR e receba informações gratuitas no seu Whatsapp!

Lila Cunha
Autora é jornalista e atua na profissão desde 2013. Apaixonada pela área de comunicação e do universo audiovisual. Suas redes sociais são: @liilacunhaa, e-mail: lilacunha.fdr@gmail.com