NOVA mudança na CNH afetará motoristas com doenças oculares; entenda

Prestes a ser modificada, a lei da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) deverá passar a contemplar outro grupo de motoristas entre os que possuem o direito de utilizar vagas especiais de estacionamento. A medida deverá ampliar o grupo de motoristas que serão identificados no documento como condutores com “mobilidade reduzida”.

NOVA mudança na CNH afetará motoristas com doenças oculares; entenda. (Imagem: FDR)

A novidade foi aprovada recentemente pela Comissão de Saúde da Câmara dos Deputados. O projeto deverá alterar o Código de Trânsito Brasileiro. Agora, serão incluídos no grupo de “mobilidade reduzida” os condutores com Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA), Espondilite Anquilosante, Fibromialgia e Esclerose Múltipla.

A proposta ainda deverá passar por outras comissões do Câmara dos Deputados antes de ser votada. Em seguida, ela também precisará ser avaliada pelo Senado Federal e receber o aval presidencial antes de entrar em vigor efetivamente.

A medida deverá trazer benefícios para esses condutores, facilitando também sua identificação por agentes de trânsito. Atualmente, ter a CNH pode ser um diferencial para os cidadãos, incluindo para trabalhadores em busca de novas vagas de emprego que, em alguns casos, exigem o documento.

Para facilitar essa emissão, alguns estados contam com um programa da CNH Social. A iniciativa permite que os cidadãos consigam o documento de forma gratuita.

Saiba como funciona o programa da CNH Social:

  • De acordo com a especialista do FDR, Laura Alvarenga, iniciativa permite que os cidadãos recebam orientações práticas e teóricas;
  • Para confirmar se o local onde você mora faz parte da iniciativa, é preciso consultar o site do Detran ou entrar em contato por telefone com o órgão local;
  • O motorista que participa do programa também ganha a isenção das taxas referentes as provas de condução;
  • Para participar é preciso ter mais de 18 anos;
  • Também é necessário ser alfabetizado;
  • A renda familiar precisa ser de até meio salário mínimo per capita ou, ainda, ter renda familiar que não ultrapasse três salários mínimos;
  • É preciso ainda estar devidamente inscrito no CadÚnico.

Confira outros benefícios disponíveis para pessoas de baixa renda neste link.

Entre na comunidade do FDR e receba informações gratuitas no seu Whatsapp!

Danielle Santana
Jornalista formada pela Universidade Católica de Pernambuco, já atuou como repórter no Jornal do Commercio, Diario de Pernambuco e Folha de Pernambuco. Nos locais, acumulou experiência nas editorias de economia, cotidiano e redes sociais. Possuí experiência ainda como assessora de imprensa.