Consulta PIS: Veja como descobrir número e conferir saldo para resgate

O número PIS é uma espécie de registro do profissional com carteira assinada. A partir dele é possível dar entrada no Seguro-Desemprego e receber o abono anual. Existem algumas formas de você fazer a consulta. Conheça elas e escolha qual usar.

Consulta PIS: Veja como descobrir número e conferir saldo para resgate (Imagem: Jeane de Oliveira/ FDR)

O número PIS funciona como uma identificação do trabalhador, e dá acesso a alguns recursos, como o saque do FGTS e o seguro-desemprego. Existem algumas formas de fazer a consulta e descobrir o seu número, com alternativas para todos os gostos, pelo telefone, aplicativos ou sites.

O número do Programa de Integração Social (PIS) é por 11 dígitos e atribuído ao trabalhador assim que ele é registrado pela primeira vez na Previdência Social. Como ele é usado apenas em situações específicas é comum que as pessoas não o tenham gravado.

Como saber o número do PIS?

Existem algumas formas de você fazer essa consulta; confira abaixo:

Aplicativo Carteira de Trabalho Digital

Essa é uma das principais formas de fazer a consulta, basta ter acesso ao aplicativo oficial, disponível para Android ou iOS. Depois de fazer o login usando os dados da sua conta gov.br., basta ir até a sessão de “Contratos”; logo à frente do nome da empresa você vai encontrar um +, clicando nele será possível acessar a todos os dados cadastrados, incluindo o número.

Consulta PIS: Veja como descobrir número e conferir saldo para resgate (Imagem: Jeane de Oliveira/ FDR)

Central de atendimento da Previdência Social

Através do número 135, ligação gratuita de todo o país, é possível conferir divas informações relacionadas à Previdência, entre elas o número PIS. Para usar o serviço é necessário ter em mãos o número do CPF, além de fazer a confirmação de dados para comprovar a identidade. Nas opções apresentadas pela mensagem gravada é necessário selecionar a opção 3 “Outros assuntos” ou 0 para falar com um atendente.

O atendimento está disponível de segunda à sábado, das 7h às 22h.

Segundo a nossa especialista Lila Cunha é possível fazer a emissão do CPF pela internet,  veja como.

Site Meu INSS

No sistema Meu INSS é possível conferir diversas informações e fazer a solicitação de benefícios previdenciários. Um dos dados que pode ser acessado é o número PIS. Clicando em “Meu Cadastro” no canto superior esquerdo é possível conferir o número PIS/NIT.

Aplicativo FGTS

No aplicativo também será solicitado a conta gov.br para acesso. Para acessar o número PIS, basta clicar em “Mais” e depois em “Endereço e dados pessoais” e pronto.

Central de atendimento da Caixa

A central funciona 24 horas com atendimento virtual através do telefone 0800 726 0207; já para falar com um atendente a ligação deve ser feita de segunda a sexta-feira, das 8h às 21h, ou aos sábados, das 10h às 16h.

Aplicativo Caixa Trabalhador

No aplicativo você se informa sobre o Seguro-Desemprego, FGTS, Abono salarial e até INSS.  Basta selecionar “Meu NIS”, que é o mesmo do PIS. A própria Caixa informa que as duas palavras se referem ao mesmo registro.

Para ter acesso às informações atualizadas do Seguro-desemprego, clique aqui.

Site do Cadastro Nacional de Informações Sociais (Cnis)

Ao acessar o site Cnis , basta clicar no menu “Cidadão” e procurar por “Inscrição”; feito isso, selecione a opção “Filiado”, informe os dados pessoais que forem solicitados e clique em “continuar”.

Depois disso, caso os dados estejam corretos, você verá uma mensagem em vermelho com o Número de Identificação – NIT, que é o mesmo que número PIS.

Site da Caixa

Também existe a possibilidade de usar o seu CPF no site da Caixa Econômica e fazer a consulta pelos seus dados, lá será possível conferir o número PIS.

Lembrando que todos que já trabalharam com carteira assinada em algum momento possuem número Pis, mesmo que não atuem mais como CLT.

 

Jamille NovaesJamille Novaes
Baiana, formada em Letras Vernáculas pela UESB, pós-graduada em Gestão da Educação pela Uninassau. Apaixonada por produção textual, já trabalhou como corretora de redação, professora de língua portuguesa e literatura. Atualmente se dedica ao FDR e a sua segunda graduação.
Sair da versão mobile