Pente fino do Bolsa Família foi REFORMULADO preocupando os titulares

Os brasileiros que recebem o Bolsa Família já devem começar a se preparar para a aplicação de um novo pente-fino. O objetivo é que usando mais tecnologia o governo federal consiga excluir da lista de contemplados aqueles que já não cumprem mais com os critérios que dão acesso ao programa. 

bolsa família
Pente fino do Bolsa Família foi REFORMULADO preocupando os titulares (Imagem: Jeane de Oliveira / FDR)

Desde o ano passado o governo federal tem aplicado pente fino no Bolsa Família. Tanto, que o número de beneficiados pelo programa apresenta queda progressiva. Quem descumpre os critérios de condicionalidade, ou já não alcança mais os requisitos que dão acesso ao programa, são automaticamente bloqueados. 

Quem está na mira do pente fino do Bolsa Família?

O fato do governo federal confirmar que vai aplicar um novo pente fino nos dados do Cadastro Único, e atingir automaticamente o Bolsa Família, tem preocupado os inscritos. É preciso entender, no entanto, que somente serão prejudicados com o bloqueio aqueles que:

  • Forem descobertos tendo renda superior a que foi declarada;
  • Não atualizaram os dados do CadÚnico nos últimos dois anos, ou quando aconteceu alguma mudança na família;
  • Não levaram as crianças de até 7 anos para se vacinarem, ou para fazer o acompanhamento nutricional a cada semestre (duas vezes ao ano);
  • As gestantes que não estão fazendo pré-natal;
  • Famílias com crianças e jovens que estão frequentando menos que 80% das aulas por mês. 

Caso a renda tenha subido, os inscritos conseguem se manter dentro do programa por meio da Regra de Proteção. Descubra como esse sistema funcionando, clicando nesta matéria escrita por mim. 

Novidade no pente fino do Bolsa Família

O governo federal ainda anunciou, por meio do Ministério do Desenvolvimento e Assistência Social (MDS), que vai aplicar no Cadastro Único um novo tipo de pente fino. Dessa vez será usada:

  • Inteligência artificial para cruzar dados do CadÚnico com outras plataformas do governo, como do SUS, eSocial, do Ministério da Educação, e outros. 

“(…) nós vamos ter mais de 1,3 pentabytes de informações em sistema de cruzamento e esse cruzamento com inteligência artificial que permite alcançar ali informações precisas sobre quem é de alguma forma não está cumprindo a regra e está recebendo”, explicou Wellington Dias, ministro do Desenvolvimento Social. 

Entre na comunidade do FDR e receba informações gratuitas no seu Whatsapp!

Lila Cunha
Autora é jornalista e atua na profissão desde 2013. Apaixonada pela área de comunicação e do universo audiovisual. Suas redes sociais são: @liilacunhaa, e-mail: [email protected]